Pessoas com dificuldade de relacionamento *


Pessoas com dificuldade de relacionamento

Por que existem algumas Pessoas com dificuldade de relacionamento social? Aquilo que para alguns é tão natural, para outras é um pesadelo.



O tema não é fácil e abre diversas possibilidades de entendimento. 



A proposta aqui não é esgotar o assunto, mas ao contrário, buscar novas formas de entendimento sobre as Pessoas com dificuldade de relacionamento social


Alguns indivíduos preferem abster-se do convívio social, isolando-se ou buscando apenas relacionamento na internet, onde não precisam se expor com totalidade, podendo "deletar os indesejáveis" quando bem entender.

A dificuldade de relacionamento pode ser entendida de várias formas:


1.Dificuldades nos relacionamentos afetivos


Se um indivíduo apresenta dificuldades no momento de estabelecer contato ou aproximações, mas não em outros contextos, pode significar apenas uma forma leve de timidez se não houver prejuízos. 
Entretanto, se esta limitação impossibilita vivenciar situações gratificantes, é importante verificar quais são os aspectos da história do indivíduo que determinaram este comportamento de esquiva.

O conceito que um indivíduo tímido faz em relação a si mesmo geralmente é negativo-catastrófico, o que gera sentimento de rejeição e baixa autoestima. É comum ouvi-lo dizer:“Não tenho assunto”;“Sou feio(a)”;“Não sou inteligente”;“Sou rejeitado”;Sua visão de mundo é catastrófica: acredita que as coisas boas só acontecem aos outros, menos com ele. 

Não funciona muito exigir que se “solte mais”. Ele sabe disso melhor que qualquer um. Apenas não sabe exatamente como fazer isso.

 
Dificuldade nos relacionamentos afetivos: 

 Alguns indivíduos se queixam da dificuldade em encontrar o “par perfeito”, a “alma gêmea”, etc, e nesta busca enveredam por mil caminhos diferentes, percorrendo caminhos tortuosos.Não é uma busca fácil, porque a dificuldade não reside na busca especificamente, mas no ajustar-se ao outro. 

Algumas pessoas querem um parceiro prontinho, perfeitinho e de preferência embalado para presente.Considerando que as relações se estabelecem em função das gratificações que proporcionam, é natural que os indivíduos busquem se relacionar com pessoas que possam “preencher” suas necessidades mais elementares de afeto.

Abreu (2005) informa que a vinculação entre casais apresenta semelhanças com a vinculação infantil, salientando que:

a) da mesma forma que a criança, o adulto tende procurar seu parceiro nos momentos de grande ansiedade;

b) a imagem de seu cônjuge é associada à conforto e segurança (base segura);
c) a separação gera ansiedade, tanto na criança que se separa dos cuidadores, quanto no adulto que se separa do seu par. (p.149)

Naturalmente esta categorização é aproximada, pois é comum observar algumas crianças que tiveram uma infância dramática tornarem-se adultos confiantes e vice-versa.

Razões para  dificuldade de relacionamento

 Levine e Heller (2013) apontam que existem dois tipos de apego, os ansiosos e evitativos:


Os tipos ansiosos geralmente exigem atenção e demonstração de afeto, a fim de que conseguirem a confirmação que são realmente amados. Entendem que uma relação seja como uma fogueira que deve ser cuidada para que não se extinga. Para quem se relaciona com indivíduos que se aproximam deste padrão de apego, os autores (op. cit.) sugerem que ofereçam a eles a base segura que lhes falta.

Porém isto nem sempre é fácil. Oferecer segurança a quem não adquiriu ao longo do desenvolvimento pode ser uma tarefa dolorosa, pois requer muita sabedoria. É necessário que haja um diálogo claro, onde as pessoas busquem conhecer suas necessidades afetivas e consigam equilibrar os ganhos e as perdas, evitando invasão. Nestes casos é fundamental que haja uma real compreensão dos motivos que levam um indivíduo a demonstrar ansiedade diante de eventos corriqueiros.


Os evitativos são o extremo oposto:



querem garantir sua independência a qualquer custo. Segundo Levine e Heller (2013) isto não significa que eles não amem seu parceiro, apenas que precisam manter seu espaço preservado. Tais indivíduos geralmente não costumam partilhar seu afeto além daquilo que julgam adequando, pois temem que serão invadidos e terão sua individualidade comprometida. A melhor forma de se relacionar com estes indivíduos é oferecendo a eles o espaço necessário para viverem de forma autêntica.Mas isto também não é fácil! Afinal que se relaciona geralmente deseja compartilhar vivências e afetos.

 É importante que haja paciência e compreensão, para negociar com o parceiro evitante o espaço necessário para o relacionamento. Convém não forçá-lo a estabelecer relações mais íntimas do que podem oferecer, uma vez que esta atitude evitativa possivelmente foi adquirida ao longo do desenvolvimento. Por isso “forçar a barra” só vai fazer com que ele se afaste ainda mais.

Como lidar

 No entanto, a sugestão que se faz para quem está com dificuldades de se relacionar com o ansioso ou com o evitante é que verifique prioritariamente as próprias necessidades afetivas e a disposição em negociar com pessoas diferentes e pouco dispostas a mudar. Se o relacionamento for gratificante, convém buscar apoio terapêutico para mediar os conflitos e ajustar as necessidades.

Apesar das diferenças pessoais, um relacionamento afetivo dar certo, mas é necessário que os pares se apropriem das suas diferenças, sem negá-las, assumindo defeitos e qualidades e mantendo sempre um diálogo aberto.


2.Dificuldades operacionais

São aquelas dificuldades que surgem quando o indivíduo não consegue, por exemplo, trabalhar em grupo, mas consegue se reunir com o mesmo grupo para uma comemoração.Isto pode estar relacionado ao perfeccionismo, ou falta de confiança básica no outro.

3.Dificuldades familiares



Alguns indivíduos se relacionam muito bem com os amigos, vizinhos, até mesmo com os estranhos, mas por algum motivo apresentam dificuldades de se relacionar com os familiares. Este tipo de dificuldade é muito comum.Isto pode ocorrer em função dos diferentes interesses dos familiares e das diferentes limitações que o contexto familiar impõe, em função dos hábitos adquiridos ao longo do tempo.


Aqui não há alternativa: todos devem se ajustar às diferentes demandas, respeitando os limites do outro. É fundamental que a comunicação seja clara.


4. Dificuldades gerais

Em alguns casos, a história de vida de alguns indivíduos aponta para ocorrências limitadoras durante a infância ou adolescência, levando-os a se sentirem "inferiores", ou "superiores" aos demais. Isto pode colaborar para que alguns indivíduos acumulem pequenas dificuldades para se relacionar e num dado momento percebem que não conseguem mais se relacionar de forma saudável em nenhum contexto.



Para modificar este quadro, é importante ressignificar a auto imagem, quebrar conceitos e preconceitos, desfazer ideias cristalizadas a respeito de si mesmo e do mundo, abrir-se ao outro, deixar de lado (na medida do possível) o medo da rejeição e o sentimento de superioridade, pois são barreiras que contribuem para o isolamento social, trazendo prejuízos em todas os contextos.


5. Variáveis sócio-históricas




Outro ponto importante a considerar é o momento histórico que atravessamos: somos ensinados (através da mídia, principalmente) a temer e desconfiar de todos.Ensinaram-nos que:


  • O outro é um concorrente, não um semelhante; 
  • o outro é uma ameaça, não uma fonte de apoio;
  • o outro é diferente;
  • o outro é pior;
  • o outro é melhor;
  • o outro tem mais;
  • o outro tem menos;
  • etc.





Desta forma, vamos formando "classes" de pessoas com interesses parecidos.Ok. Até aqui, nada demais.






É tendência do ser humano se relacionar com seus pares, ou seja, aqueles que têm interesses em comum. A dificuldade surge justamente quando precisamos nos relacionar com o diferente. Como deixar de lado as diferenças e estabelecer relações saudáveis, se não formos ensinados? Como deixar de temer o diferente? Como confiar no outro? Bem, são questões difíceis e exigem muita reflexão. No entanto, alguns pontos devem ser observados:






 1º Compreender o que é um relacionamento - Relacionamentos são vias de mão dupla. É preciso disposição para compreender e se adaptar ao outro.






 2º) Romper as barreiras - Passar em revista seus valores e verifique se não é você que está rejeitando o mundo a sua volta. Algumas pessoas tendem a eliminar certos relacionamentos por medo de ser "contaminados" pelas ideias alheia e desta forma, perdem a chance de conhecer pessoas maravilhosas e viverem bons momentos. Se este não é seu caso, ótimo. Se for, verifique o que é melhor: conviver com suas ideias cristalizadas e na solidão ou abrir mão delas e estabelecer relacionamentos saudáveis?






3º Estar disponível: Bons amigos ou parceiros afetivos não caem do céu. Estas relações precisam ser cultivadas. Por isso é importante sair do ostracismo e demonstrar desejo de proximidade por meio de atitudes simples.



Se você convive com pessoas que têm dificuldade de relacionamento, saiba que a solução não é forçar o indivíduo a se relacionar, ao contrário, devem-se buscar os reais motivos que conduziram este indivíduo a esta situação de isolamento, portanto cuidado para não invadir o espaço da pessoa ao tentar ajudar. Pode ser que ela não queira a sua ajuda. Se precisar, com certeza pedirá.



Seja lá qual for o motivo que leva o indivíduo a não se expor, só podemos considerar como problemático o comportamento de esquiva que tiver trazendo sofrimento para o indivíduo. Nestes casos, sugiro que busque por apoio terapêutico.








Referências






ABREU, C. N. de. Tipos de apego: Fundamentos, Pesquisa e Implicações Clínicas. São Paulo. Casa do Psicólogo, 2005.


LEVINE, A; HELLER, R.S.F. Apegados: um guia prático para estabelecer relacionamentos românticos e duradouros. Ribeirão preto. Ed. Novo Conceito: 2013.


Leia também alguns artigos neste site de Psicologia.


A dificuldade em mostrar sentimento

Abra-se ao amor sem medo de ser feliz

Amor = Paixão + intimidade + comprometimento

Amor correspondido - Amor não correspondido

Amor custa caro

Amor desgastado: quando a relação afetiva está desigual

Amor Patológico - Amor doente



Como marcar uma Consulta com psicóloga Maris V. Botari? 

Pelo email: psicólogamaris@gmail.com

Pela agenda online

Pelo whatsapp (11) 99984-9910



  • Missão: ensinar ao paciente a monitorar seus gatilhos de ansiedade e compreendê-los a partir da sua história de vida, sem julgamentos, sem “broncas”, sem “sermões”.

  • Visão: acreditar que o ser humano é capaz de evoluir, dar mais valor a si mesmo, ajustando suas emoções e comportamento a fim de reduzir as ansiedades e o estresse.

  • Valores: atender dentro dos princípios éticos da profissão, respeito ao ser humano, profissionalismo, praticidade, pontualidade e compreensão à dor humana. 

  • Objetivos profissionais:  Colaborar para a promoção do bem estar emocional, racional, cognitivo e social dos meus clientes; servindo como "ego auxiliar" para o resgate da sua autoestima, a construção ou restauração da sua identidade; o desenvolvimento pessoal e/ou profissional; a busca do autoconhecimento; o controle do estresse. 
Postura:
  • Sigilo - Nada do que for dito em uma sessão com * poderá ser revelado.
  • Serenidade – Uma sessão com Psicoterapia em SP,  precisa ser um momento de serenidade, para que o cliente possa expor seus medos, angústias e receios, e possa sair melhor que entrou.
  • Sincronicidade – O Psicólogo precisa acompanhar o discurso do Psicólogo para compreender sua história, acolher sua dor e ser agente de mudanças;
  • Singularidade – Reconhecer que cada indivíduo é único, evoluir, com sentimentos e emoções muito particulares.

Abordagens:

  • Terapia Cognitivo Comportamental:  

    modelo de tratamento psicológico de curta duração e efeitos mais rápidos, Indicada para casos de depressão, ansiedade, dificuldade de relacionamento, estresse e para quem quer perder peso.

  • Humanista - Acolhimento humanizado em Psicoterapia é uma abordagem mais natural sem perder o profissionalismo Psicológico.

    O tratamento humanizado vai muito além do “bom dia, como posso ajudar?”. Trata-se da troca que acontece por ambos os lados – seja de informação, cordialidade e respeito. (fonte: Abrale)

  • Neuropsicologia

  • Psicopedagogia

Atendimento Psicológico pautado na Ética: Pontos relevantes do Código de Ética do Psicólogo
  • Levar em conta a justa retribuição aos serviços prestados e as condições do usuário ou beneficiário;

  • Assegurar a qualidade dos serviços INDEPENDENTE dos valores pagos.

É vedado ao psicólogo:

  • Prolongar desnecessariamente os atendimentos;

  • Utilizar preço como forma de propaganda;

  • Realizar diagnósticos pelos meios de comunicação pública, expondo pessoas;

  • Fazer previsão taxativa de resultados;

  • Induzir a convicções políticas, filosóficas, morais, ideológicas, religiosas, de orientação sexual ou a qualquer tipo de preconceito, quando do exercício de suas funções profissionais.

  • Vide nosso código de ética

Onde a Psicóloga atende?

Atende no Consultório da Psicóloga na Av. Paulista.

O Consultório da Psicóloga Maris V Botari situa-se na Avenida Paulista, 2001. 
Ed Barão de Itatiaya , Bela Vista, São Paulo, SP, dentro da Galeria 2001.Psicóloga em SP

Referências para chegar ao consultório:

  • 02 minutos a pé da Estação Consolação do Metrô; 

  • Cruzamento da Paulista com a Padre João Manoel;   

  • Um quarteirão da  Rua Augusta;

  • Perto da Rua da Consolação, Masp e FiESP.

Acolhimento humanizado no Consultório de Psicologia na Bela Vista.


Consultório de Psicologia na Bela Vista, foi pensado em proporcionar um ambiente acolhedor, onde o paciente sinta-se “em casa”. Trata-se de um espaço singelo, com uma única sala de atendimento, sem recepção (para garantir o sigilo dos atendimentos).


Psicoterapia Online e Presencial, para crianças, (acima de 10 anos) adultos e casais.

 

Preço de consulta psicólogo

Quanto custa a consulta com a Psicóloga Maris na Av. Paulista?

Psicoterapia com Acolhimento Humanizado acessível na Avenida Paulista.

E para aqueles que buscam psicoterapia e estão em situação financeira delicada, podem optar pelo atendimento social.

Saiba onde é possível encontrar Psicólogos Gratuitos.


Psicóloga na Av. Paulista, Bela Vista São Paulo/SP         

Por que escolhi a Av. Paulista para montar um consultório?

Basicamente para facilitar a vida dos pacientes, e claro, da psicóloga também.

Pensando em oferecer ao cliente um atendimento que prioriza a excelência acima de tudo, este local foi escolhido por agregar:

  • Facilidade de acesso ao consultório: É muito fácil chegar ao Consultório da Psicóloga, seja de metrô, de ônibus, de bicicleta, de carro, ou mesmo a pé.

Os pacientes deste consultório, que fazem Psicoterapia Presencial, vêm da zona Sul SP, Zona Leste SP, Zona Oeste, Zona Norte SP e Centro Histórico de SP. Também acolhemos pessoas de outras cidades do Estado de São Paulo e até mesmo de outros países, por meio da Psicoterapia Online

  • Segurança: 

No Edifício Barão de Itatiaya é necessário fazer identificação antes de subir, o que colabora para que estejamos sempre em segurança. 

 

  • Opções de Lazer, cultura e gastronomia:
 

Por estarmos ao lado do Conjunto Nacional, o cliente que chegar mais cedo poderá visitar a Livraria Cultura, outras lojas, tomar café no Starbucks, visitar os Shoppings da Região, os Museus como o MASP, etc..

 A Av. Paulista é muito mais que uma avenida: é uma entidade que acolhe a todas as pessoas que buscam opções de trabalho, lazer, negócios e tratamentos. Dizem que tem uma “energia positiva”, seja lá o que signifique isso.

Psicólogo atende a preço popular?

Depende. Muitos Psicólogos atendem sim, afinal, sabemos das dificuldades que a população brasileira está atravessando nos últimos tempos, por causa da COVID-19, etc.

Porém você está com dificuldade em encontrar Psicólogo que atenda a preço popular. 

O que ocorre? De acordo com as normas éticas, não é adequado usar termos como: "psicólogo preço popular", “Psicólogo barato”, “Psicoterapia com desconto” pode caracterizar concorrência desleal, o que não é muito ético.

Procure por "ATENDIMENTO SOCIAL EM PSICOLOGIA". Você encontrará Psicólogos realmente sérios, que atende a preço acessível. 

Psicólogos que atendem gratuito

Porque os psicólogos não atendem gratuitamente

Se você busca  *Psicólogos online gratuito*, *psicóloga grátis* , *psicóloga de graça* *Psicoterapia gratuita*, *Terapia gratuita*, *terapia online gratis*, saiba Onde encontrar Psicólogos Gratuitos em SP?

Psicólogo convênio Amil, Bradesco, Notredame, Sulamérica em SP.

Neste consultório, a sua sessão de Psicoterapia pode ser reembolsada pelo seu plano de saúde.

Se você está buscando atendimento de Psicóloga por convênio em São Paulo SP, que atende convênios Amil, Bradesco, SulAmérica Omint, observe que existe a opção de atender seu convênio por meio de reembolso. Reembolso é lei. 

  

Psicólogo Online e Presencial

Existem duas modalidades de atendimento psicológico: Online e presenciais.

Alguns podem atender online, alguns de forma híbrida e outros apenas presencial.

Psicologa Online: faça Psicoterapia pela internet a qualquer hora, em qualquer lugar.

O que faz um Psicólogo?

O psicólogo hoje tem uma função mais ativa na sociedade.

É um profissional que oferece ajuda emocional, afetiva e racional; que ajuda as pessoas a entenderem seus medos, suas raivas, seu stress cotidiano; ensina a expressar sentimentos como amor, raiva, indignação; ampara na hora da dor; motiva; mostra ao outro suas potencialidades, convertendo defeitos em qualidades, medo em coragem, tristeza em alegria, raiva em amor.

Psicólogos e Psiquiatras tem papéis diferentes . 

O que esperar de uma Psicóloga  

Para você quer consultar uma psicóloga na bela vista,  ou ainda não começou e não sabe exatamente o que esperar do psicólogo, aqui vão algumas dicas. O Psicólogo é um profissional que vai te acolher com brandura, sem que isso seja pesado para o paciente psicológico.

Busca por psicóloga na COVID-19

Você certamente já passou por momentos difíceis sem sofrer tanto; e superou sozinho(a) outras situações difíceis.

Mas existem situações absurdamente estressantes, que os indivíduos não conseguem lidar sozinhos. Tentam a ajuda da família, dos amigos, mas isto parece não ser suficiente, pois as pessoas também tem seus problemas emocionais.

A busca por serviços de Psicoterapia em SP,  Consulta com Psicóloga em sp, Psicoterapia em SP,  na bela vista, psicologa sp, psicóloga na av. paulista, aumentou muito desde o começo da pandemia COVID-19.

Como encontrar bons Psicólogos?

Se você busca Psicólogos em São Paulo certamente está buscando psicólogos perto de você, ou com Preços populares. Para encontrar o Psicólogo certo, é importante saber que existem diferentes tipos de Psicólogos e nem todos  fazem todos os serviços. 

Entenda como acertar na escolha de seu psicólogo e fazer uma boa psicoterapia, 

As pessoas que buscam Psicóloga em são Paulo buscam acolhimento para casos de depressão, ansiedade, término de ou dificuldade relacionamento, estresse no trabalho,

Certamente, isto ocorre porque as pessoas estão buscando respostas para depressão, estresse, dificuldade de relacionamento, crises de pânico, Ansiedade, depressão, fobias , traumas, problemas de relacionamento

Estou à disposição para atender sua queixa e acolher suas demandas. 

O que é Psicoterapia?

A psicoterapia (do grego psykhē - mente, e therapeuein)Psicoterapia, é o tratamento Psicológico unicamente pela fala. Neste atendimento, é possível identificar as distorções do comportamento humano, identificar problemas psicológicos e restaurar a saúde mental. 

Na Consulta com psicóloga os primeiros atendimentos visam o estabelecimento de vínculo, pois não existe a menor possibilidade de trabalho se não houver aliança entre o terapeuta e o cliente. Deixo o cliente a vontade para falar de si mesmo e suas queixas.

A Psicoterapia é focada na

  • identificação modificação de Pensamentos disfuncionais

  • identificação e modificações de crenças - sobre si mesmo, o mundo, e o futuro;

  • identificação e modificação de comportamentos que lhe trazem prejuízos.

  • Como material de apoio utilizo a música, os filmes, leituras, desenhos, pinturas, etc

Quais os tipos de Psicoterapia existem?


Auxiliar o casal a compreender sua dinâmica de funcionamento, os pontos de embaraços afetivos (relações confluentes); desenvolver em cada um a compreensão acerca de si mesmo e do outro, dentro e fora da relação.

  • Psicoterapia Infantil e adolescentes.
  • Psicoterapia de Adultos

Quais as abordagens mais conhecidas na Psicoterapia? 

  • Psicanálise


A Psicanálise é a "cura pela fala" abordagem criada por Sigmund Freud, no final do século XIX, e busca acessar conteúdos inconscientes por meio de algumas técnicas exclusivas.

  • Psicoterapia Cognitivo-Comportamental

É a mais procurada pelas pessoas que querem "desabafar" ou tratar causas de depressão, ansiedade, dificuldade de relacionamento.

  • Psicodrama 


É uma terapia geralmente feita em grupo, baseada na encenação improvisada dos conflitos. Ela parte da ideia de que as questões são fruto das relações estabelecidas pela pessoa desde a infância e propõe uma retomada dessas experiências durante o processo terapêutico. 

 

Como a Psicoterapia pode ajudar?

Saiba de que forma a Psicoterapia pode te ajudar: Favorecendo o autoconhecimento; diminuindo a ansiedade, controlando e tratando os sintomas da depressão

 A Psicoterapia, ou Psicologia Clínica, pode ajudar a encontrar formas de resolver problemas que parecem insolúveis, Tratamento depressão e Ansiedade, Problemas de dificuldade de relacionamento, além de ensinar novas formas de lidar com circunstâncias desfavoráveis da vida, como luto, término de relacionamento, abusos morais, problemas no trabalho, insônia, ansiedade, depressão e estresse , pode modificar pensamentos, crenças limitantes, falta de foco, procrastinação, dificuldade de relacionamento, solidão e depressão.

A Psicoterapia serve para que as pessoas tenham ajuda emocional, apoio psicológico para lidar com problemas da vida em geral, como ansiedade, depressão, fim de relacionamento, luto, amor patológico, etc. 

Observe que a "cura pela fala" é um método muito antigo pois aquilo que a boca cala, geralmente se traduz no emocional. Daí a importância de falar sobre seus medos e suas angústias.

Diga não aos relacionamentos abusivos, à exploração no trabalho, à procrastinação, aos medos infundados, à dificuldade de relacionamento.

Quando procurar Psicoterapia?

As pessoas que buscam Psicoterapia em São Paulo geralmente buscam acolhimento para casos de depressão, ansiedade, término de relacionamento, estresse no trabalho.

Geralmente as pessoas procuram Psicoterapia

Quando algo causa sofrimento e interfere em alguma parte da vida, especialmente quando: 

  • Pensar ou lidar com o problema leva pelo menos uma hora por dia

  • O problema causa constrangimento ou faz você querer evitar outras pessoas

  • O problema fez com que sua qualidade de vida diminuísse

  • O problema afetou negativamente a escola, o trabalho ou os relacionamentos

  • Você fez mudanças em sua vida ou desenvolveu hábitos para lidar com o problema

 Se você experimentar qualquer uma das seguintes emoções a ponto de interferir na vida, a terapia pode ajudá-lo a reduzir seus efeitos.

É especialmente importante considerar a obtenção de ajuda se você se sentir controlado pelos sintomas ou se eles puderem causar danos a você ou a outras pessoas.

  • Sobrecarga. Você pode achar que tem muitas coisas a fazer ou muitos problemas com os quais lidar. Você pode sentir que não consegue descansar ou mesmo respirar. O estresse e a sobrecarga podem levar a sérios problemas de saúde física.

  • Fadiga. Este sintoma físico geralmente resulta de ou acompanha problemas de saúde mental. Pode indicar depressão. A fadiga pode fazer com que você durma mais do que o normal ou tenha dificuldade para sair da cama pela manhã.

  • Fúria, raiva ou ressentimento desproporcionais. Todo mundo fica com raiva às vezes. Mesmo a raiva passageira não é necessariamente prejudicial. 

Psicoterapia, terapia de conversa ou terapia de fala, aconselhamento ou simplesmente terapia - não importa o nome pelo qual seja conhecido, o aconselhamento de saúde mental pode beneficiar pessoas que lutam com dificuldades emocionais, desafios da vida e problemas de saúde mental.

A terapia pode ajudar a melhorar os sintomas de muitos problemas de saúde mental. Na terapia, as pessoas também aprendem a lidar com os sintomas que podem não responder ao tratamento imediatamente. 

A pesquisa mostra que os benefícios da terapia duram mais do que apenas a medicação. 

A medicação pode reduzir alguns sintomas de problemas de saúde mental, mas a terapia ensina as pessoas a lidar com os sintomas por conta própria. Essas habilidades perduram após o término da terapia e os sintomas podem continuar a melhorar, tornando menos provável que as pessoas precisem de mais tratamento.

 

Quem deve fazer Psicoterapia?

Todos podem se beneficiar da Psicoterapia. A Psicoterapia também é indicada para quem NÃO tem problemas emocionais, e quer simplesmente compreender melhor alguns aspectos da vida, e manter a serenidade conquistada ao longo da trajetória existencial, a fim de continuar estabelecendo boas relações com as outras pessoas.

Psicoterapia é para todos(as), sem exceção. Para quem tem problemas emocionais, para quem sofre de ansiedade, depressão ou estresse agudo. Para quem não consegue tomar decisões, para quem busca novas formas de interagir com outras pessoas.

A Psicoterapia não é apenas para quem está com algum ou sofrendo com ansiedade, depressão ou dificuldade de relacionamento e também para quem quer se conhecer melhor, ou aprender simplesmente a demonstrar sentimentos, ou também lidar com pessoas difíceis, ou se preocupam com pessoas muito queridas que estão sofrendo. 

EU “PRECISO” DE TERAPIA?

 Dizer a alguém que ela deve ir para a terapia ou que precisa dela pode ser estigmatizante.  

Pode ser difícil ver um ente querido lidando com problemas de saúde mental, mas é importante que as pessoas escolham buscar ajuda por conta própria, desde que não coloquem a si mesmas ou qualquer outra pessoa em perigo. 

Incentivar alguém de quem você gosta a examinar possíveis opções de terapia, até mesmo oferecer-se para avaliar terapeutas em potencial com essa pessoa, geralmente é a melhor maneira de mostrar apoio. As pessoas que se sentem forçadas a fazer terapia podem se sentir resistentes e ter mais dificuldade para fazer o trabalho necessário para fazer a mudança.

  

Nunca fez Psicoterapia?

Para quem nunca fez Psicoterapia é importante ressaltar que a 1ª. Sessão de Psicoterapia é um acolhimento humanizado, para transmitir segurança, confiança, calma e serenidade ao paciente, e encorajá-lo a prosseguir na Psicoterapia.

Algumas pessoas têm medo de vir à psicóloga. Isto é normal. Todos temos medo do novo. Mas, é preciso superar este obstáculo.

Nos primeiros atendimentos, as pessoas percebem um acréscimo de confiança, o que favorece a autoestima; depois de alguns atendimentos, os pacientes começam a tomar algumas decisões que estavam paralisadas pelo medo, raiva ou outro sentimento negativo.

Saiba Como funciona uma sessão de Psicoterapia 

O que ocorrerá nas próximas sessões de Psicoterapia

As próximas sessões de Psicoterapia servem para que o cliente possa dar continuidade ao processo de evolução emocional que começou quando resolveu buscar psicoterapia.

O Psicólogo vai usar uma escuta não invasiva e métodos cientificamente comprovados para ampliar a compreensão da psique humana, para acompanhar a evolução do paciente psicológico.

Quando a Psicoterapia funciona?

Saiba o que acontece quando a Psicoterapia funciona.

Novos sentimentos surgem de corações que eram (supostamente) áridos; a coragem parece brotar como flores que nasceram no asfalto; certezas absolutas dão lugar à dúvidas; e dúvidas dão lugar a novas dúvidas.

Uma Consulta de Psicoterapia em SP,  pode te ajudar, favorecendo o autoconhecimento; diminuindo a ansiedade, controlando e tratando os sintomas da depressão. 





Postagens recentes