Pular para o conteúdo principal

♥ Não brinque com o sentimento alheio



"Brincar" com o sentimento alheio: é uma expressão de que pode ser interpretada de várias formas, e abrange comportamentos inadequados como jogos de sedução, testes de atenção, guerra de nervos, disputa de poder, etc..
Não brinque com o sentimento alheio
Jogo de sedução:
Exemplo: algumas pessoas que  terminaram seus relacionamentos  e passam por momentos de recaídas podem "sair por aí", a fim de seduzir pessoas, apenas para garantir por algumas horas sua sobrevivência emocional; uma vez satisfeitas, descartam a outra parte, sem considerar que criaram esperanças no coração do outro.

"se o outro se apaixonou o problema é só dele, e não tenho nenhuma responsabilidade nisso" 

Mas isso não é uma atitude madura: temos sim, a responsabilidade ética pelo que o outro sente em nossa presença, com base naquilo que emitimos. 

Nos jogos de sedução, utilizam-se ferramentas como a persuasão, elogios falsos, verdades ampliadas, mentiras sinceras, cuja finalidade é fazer o outro se apaixonar, mesmo quando não há real intenção de levar o relacionamento adiante

Teste de atenção:
Guerra de nervos:
Disputa de poder
Não brinque com o sentimento alheio, na hora de reatar relacionamentos.



Muito comum em pessoas que estão com a autoestima fragmentada e precisam urgentemente reconstruí-la, e para isso começam a seduzir as pessoas mais próximas, ou ex namorados (as), a fim de verificar se são merecedoras da atenção, elogios e aceitação dos outros. Quando recebem um retorno positivo, descartam o outro.



Prática muito comum nas redes sociais e se dá quando alguém que está carente de atenção, afeto e aceitação, faz postagens nas redes a fim de mobilizar o sentimento do outro, geralmente disseminando raiva e sofrimento.

Consiste em provocar situações que visam desestabilizar emocionalmente a outra parte. Nesta categoria podemos incluir as provocações de ciúme, de inveja, a tendência a inferiorizar o outro, menosprezando suas opiniões, sua identidade, sua classe social ou intelectual, etc.

(Tratando do tema dentro das relações afetivas), 
As disputas de poder têm como finalidade levantar a autoestima por meio da imposição de regras na relação (diferente das negociações de interesses). É algo como "eu mando, você obedece. Não obedece? não me ama".


Passe em revista seus reais sentimentos antes de procurar pela outra pessoa.

Em muitos casos a carência afetiva extrema pode conduzir as "brincadeiras afetivas", provocando mais dor e mais sofrimento


Evite procurar o outro se não tem intenção de reatar a relação de forma sincera -  pois quando procuradas depois de um rompimento as pessoas imaginam a possibilidade de reatar a relação afetiva e se preparam inconsciente [ou consciente] para isso - E quando isso não ocorre ficam com a sensação de foram enganadas novamente rejeitadas

Portanto seja sensato [a]. Não procure a outra pessoa se não estiver com sinceras intenções de reatar. Buscar pelo outro apenas para testar seu poder de aceitação é uma atitude muito egoísta.

Não Permita que abusem emocionalmente de você. Entenda que estas brincadeiras afetivas, joguinhos emocionais servem para enganar a pessoa, e isto pode ser considerado abuso emocional, ou em outras palavras, pode predispor alguém à vivenciar um relacionamento abusivo, de pequenas ou grandes proporções.






psicologa sp

1ª Sessão de Terapia: como funciona

Se você nunca passou na Psicóloga, ou por algum motivo precisou interromper e gostaria de retomar sua Psicoterapia, fica aqui um convite para vir conhecer meu trabalho, expondo suas queixas e fazendo um pré-diagnóstico. Algumas pessoas têm medo de vir à Psicóloga. Isto é normal, mas não é "legal". O ideal seria passar em um Psicólogo, pelo menos uma vez na vida, para inferir seu estado emocional, para conhecer o Trabalho dos psicólogos, desabafar, e para colocar em dia suas variáveis emocionais, aquelas que, quando acumulam, geram depressão, ansiedade, dificuldade de relacionamento. Psicólogos não existem apenas para tratar de "pessoas com problemas". Oras, todos nós temos problemas a resolver, afinal a vida é um desafio constante. Os Psicólogos existem justamente para favorecer o enfrentamento destes problemas emocionais, que todos atravessamos. Trata-se de uma escuta imparcial, acolhedora e humanizada, sem julgamentos, sem preconceitos de qualquer natureza. Observ