A Inveja e o ciúme

Embora sejam sentimentos distintos, a inveja e o ciúme são muitas vezes confundidos, pois são vivenciados com alguma intensidade. A diferença básica é que o ciúme envolve três elementos, enquanto a inveja envolve apenas dois



psicologo, sp, convenio, bradesco, sulamerica, amil, vila mariana, consulta gratis




A etimologia da palavra inveja é formada pelos étimos latinos in (dentro de) + videre (olhar), que indicam o desejo de desviar o olhar de algo que incomoda. "Olhar para dentro" é o contrário de olhar para fora, onde o objeto do desejo está. O Olhar para dentro indicaria um sentimento de negação do objeto desejado.

Desta forma, é imperioso que o objeto desejado "desapareça" do campo de visão de quem o deseja. Este processo remete à destruição do objeto, seja de forma objetiva ou subjetiva (destruindo a representação do objeto desejado)


Onde nasce a inveja?


Melanie Klein (1991) aponta que a inveja é uma emoção muito arcaica que remonta ao nascimento, no sentimento de frustração que surge no momento em que as necessidades não são atendidas. A frustração  é o sentimento oriundo da ausência de gratificação, que remontaria ao sentimento de raiva por precisar de  (ou desejar)  algo inacessível (em dado momento).


Como se manifesta

O desejo de destruição existe para eliminar os parâmetros de comparação e se manifesta pela negação:

"Eu não queria mesmo....""Nem reparei que você tingiu o cabelo"

Neste caso há uma tendência a destruir o objeto de forma subjetiva. Por não existir a possibilidade de destruir o objeto que incomoda de forma objetiva, o invejoso o faz de forma subjetiva, desviando o olhar daquilo que tanto o incomoda. 


Ou pela racionalização:

“Claro que ela tirou notas boas. Passou a noite inteira estudando. Não fez mais do que obrigação”.

Nestas circunstância, a tendência é minimizar os méritos do outro, simplificando o processo e banalizando os méritos.

Outra forma de manifestação muito presente nos diversos contextos, é a tendência de algum indivíduo se colocar na posição de objeto de inveja: em geral, têm dificuldades em reconhecer suas limitações, passando a viver em um mundo imaginário de superioridade. Estas pessoas acreditam que o outro o persegue, uma vez que não consegue lidar com sua pouca habilidade de solucionar conflitos, e adaptar-se aos novos contextos.


Inveja Branca


Quando falamos de “inveja branca”, não estamos nos referindo ao mesmo conceito, uma vez que esta “inveja branca” pode ser entendida como “Admiração”. A diferença básica é que na admiração não há desejo de destruição do outro e sim uma tendência à imitação (que pode ser bastante prejudicial se não houver parâmetros, já que pode ser entendida como uma espécie de roubo de identidade).


Referências


FIGUEIREDO, Maria Flávia; FERREIRA, Luis Antonio. Olhos de Caim: a inveja sob as lentes da linguística  e da psicanálise. Sentidos em movimento: identidade e argumentação. Coleção Mestrado em Lingüística. 2011 - publicacoes.unifran.br

KLEIN, Melanie. Inveja, Gratidão e outros trabalho. Rio de Janeiro. Imago: 1991.



 Psicologo Bradesco, Psicologo Amil, Psicologo Sulamérica, Psicologa Bradesco, Psicologa Amil, Psicologa Sulamérica, Psicologa Allianz, Psicologa Barata, Psicologa Experiente,  tratamento ansiedade, depressão, dificuldade de relacionamento, psicologo consulta , psicologia online, terapia matrimonial, psicologo online, psicologia consulta, psicologia on line, psicoterapia online, psicoterapia infantil, terapia para casal, paginas de psicologia, sites de psicologia, psicologia virtual, psicologo sp, site psicologia, terapia psicologica online, psicologia sp, psicologo barato, clinicas de psicologia em sp, psicologos em sp, psicoterapia de casal, psicologos sao paulo, site psicologo, aconselhamento de casal, consulta psicológica online, psicologo zona sul, ajuda psicológica, assistencia psicologica endereço, assistencia psicologica local



Avalie

Postagens mais visitadas

Artigos mais lidos da semana