psicologa sp , Psicóloga perto de mim, consulta com psicologa, psicologa preço, psicologa valor, psicóloga preço, psicólogo valores, consulta psicólogo valor, psicólogo preço, psicologa perto de mim,psicologo perto de mim, Psicóloga perto de mim, psicólogo presencial sp, psicóloga São Paulo, psicólogo consulta, psicólogo zona sul sp, Psicólogo Zona Leste sp, melhores psicólogos de sp, Psicóloga Av. Paulista, Indicação de Psicóloga SP, poderá agendar uma consulta com psicologa presencial.

A Psicologia do Amor Correspondido - Psicóloga SP

A Psicologia do Amor Correspondido

Psicóloga SP 
Maristela Vallim Botari 
CRP-SP 06-121677.  


Introdução


No intricado universo das emoções, a Psicologia do Amor Correspondido emerge como uma área fascinante e vital para o entendimento das relações afetivas. 

Em meio aos anseios, alegrias e desafios que permeiam o tecido do amor, a Psicóloga sp Maristela propõe-se a explorar e desvendar as complexidades emocionais que envolvem o amor correspondido. 

Neste cenário emocionalmente rico, vamos mergulhar nas nuances e descobertas que moldam as experiências de um amor que ressoa de maneira recíproca, sob a orientação acolhedora da Psicóloga, buscando compreender como essas dinâmicas impactam nosso bem-estar emocional e enriquecem nossa jornada de relacionamentos.
A Psicologia do Amor Correspondido - Psicóloga SP


S. sempre foi uma pessoa insegura quando se tratava de relacionamentos amorosos. Ela sempre se dedicou muito para fazer as coisas darem certo, mas nunca se sentia completamente segura de que seu parceiro sentia o mesmo por ela.



Foi por isso que, em uma tarde de quarta-feira, ela resolveu marcar uma consulta com a psicóloga Maristela. 

S. queria entender melhor seus sentimentos e encontrar uma forma de lidar com as suas inseguranças.

Na primeira sessão, S. falou sobre as suas experiências passadas e sobre as suas preocupações em relação ao presente. Ela explicou que estava passando por um momento em que sentia que a relação com seu parceiro não estava avançando e que ela estava com medo de ser rejeitada.

Maristela escutou atentamente todas as preocupações de S. e, com muita empatia, começou a ajudá-la a entender melhor as suas emoções. Ela explicou que a insegurança é um sentimento comum e que muitas pessoas passam por isso em relacionamentos amorosos.

Com o tempo, Maristela ajudou S. a entender que o amor não pode ser medido por provas objetivas e que cada pessoa expressa seus sentimentos de maneiras diferentes. 


Ela também ajudou S. a desenvolver sua autoestima e a se valorizar mais e superar suas inseguranças e construir uma relação mais saudável com seu parceiro. Ela aprendeu a confiar mais em si mesma e a perceber os sinais de amor que seu parceiro lhe enviava.

S. foi capaz de encontrar a tranquilidade e a felicidade em seu relacionamento. Eles se tornaram um casal mais unido e confiante, capazes de enfrentar juntos os desafios que a vida lhes apresentava.


A Psicologia do Amor Correspondido

Pesquisas na área da psicologia e neurociência mostram que o amor correspondido pode ser benéfico para a saúde mental.

Isso porque a correspondência amorosa é geralmente associada a sentimentos de segurança, estabilidade e felicidade.

A psicologia entende o amor correspondido como uma relação em que ambos os parceiros se amam e demonstram esse amor de forma recíproca. 

Para a psicologia, o amor correspondido é um estado emocional positivo que é caracterizado por um sentimento de bem-estar, felicidade, segurança e tranquilidade na relação amorosa.

De acordo com a psicologia, o amor correspondido pode ser entendido como uma relação equilibrada, em que os parceiros se sentem confortáveis e seguros um com o outro. 

É uma relação em que há comunicação e compreensão mútuas, onde os parceiros estão dispostos a se apoiar, respeitar e se comprometer com o outro.

No entanto, a psicologia também destaca que nem sempre é fácil manter um amor correspondido. As dificuldades podem surgir quando há desequilíbrio na relação, como quando um dos parceiros investe mais do que o outro ou quando há falta de comunicação e compreensão mútuas.

Nesses casos, é importante que os parceiros se comuniquem e trabalhem juntos para superar essas dificuldades, para que possam manter um amor correspondido e saudável. A psicologia enfatiza a importância de se desenvolver habilidades de comunicação e resolução de conflitos, bem como a necessidade de cultivar a empatia e o comprometimento na relação amorosa.




Seu amor é correspondido?



Ao perguntar às pessoas em relacionamentos se elas se sentem amadas, a resposta geralmente é "sim". Mas o que as leva a pensar assim? 

Muitas vezes, a confusão entre atração, desejo, paixão e amor é causada pelo excesso de informações da mídia. 

Algumas pessoas confundem atração sexual com amor, enquanto outras buscam ser cultuadas em vez de amadas. 

Para entender o amor, é importante esclarecer seus elementos básicos: paixão, intimidade e compromisso, que combinados, formam oito formas diferentes de amar, segundo a teoria de Stenberg (1986). Refletir sobre como dar e receber amor é fundamental para manter um relacionamento feliz.



Paixão
Intimidade
Compromisso
Desejo passageiro
X
Amizade
X
Companheirismo
X
X
Amor vazio
X
Amor romântico
X
X
Paixão fugaz
X
X
Amor consumado
X
X
X
Inexistência de amor
Paixão - Conjunto de reações emocionais, de ordem biológica que visa a proximidade entre os pares. Geralmente dura até dois anos, podendo transformar-se em amor ou extinguir-se. Algumas substâncias químicas são produzidas em quantidades maiores pelo cérebro:
  • O efeito da dopamina no cérebro é o mesmo da cocaína: provoca bem estar e quando não está disponível, provoca crise de abstinência, por isso que o contato com a pessoa amada produz sensação de bem estar.  
  • A produção de  feniletilamina,  contribui para a formação de novas memórias e isto faz com que os apaixonados se recordem de detalhes minúsculos. 
  • A produção de oxitocina (nas mulheres) e vasopressina (nos homens), favorece a criação de um vínculo mais sólido e duradouro, levando os apaixonados a desenvolverem comportamento de aproximação. 
  • Em contrapartida, há uma redução na produção de serotonina, o hormônio responsável por reduzir os níveis de estresse. Por conta disso, as pessoas apaixonadas tendem a apresentar ansiedade acima da sua média, nos primeiros meses, desenvolvendo pensamentos obsessivos e ideias compulsivas, como no Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC).
  •  A testosterona também esta nos dois organismos, porém é menor nas mulheres.  Seu efeito é notado pelo aumento da libido na mulheres e  sua queda provoca menos agressividade nos homens.

Por conta destas tempestades hormonais, as pessoas enamoradas se arrumam mais, se perfumam, emagrecem, procuram se aproximar de seu objeto de desejo de todas as formas. 
Este processo de apaixonamento costuma levar as pessoas à loucura, pois com a perda parcial do senso crítico há uma tendência à distorção dos fatos.

Os apaixonados tendem a interpretar de forma ampliada os estímulos que se referem ao parceiro afetivo e minimizar os que exigem o uso da lógica.

  • Intimidade – implica em partilhar ocorrências boas e ruins, uma vez que envolve a confiança na pessoa amada. Aliás, um dos aspectos que torna esta pessoa tão desejada é o fato de que ela não se mostra ameaçadora, portanto confiável (observe que este conceito de confiabilidade varia de pessoa para pessoa). 
  • Se a pessoa é confiável, significa que você poderá contar com ela em diversos momentos. A intimidade é diferente da confluência, pois é possível manter uma relação de intimidade com alguém sem fundir-se a ela, mantendo a individualidade.
  • Compromisso – é o engajamento na relação que pressupõe levá-la adiante (até onde for possível), buscando a superação de adversidades.

Desta forma, pode-se compreender que, para que o amor consiga manifestar-se é necessário que haja paixão,intimidade e comprometimento.

 Porém isto ainda não é suficiente, uma vez que estes elementos raramente surgem juntos, ou na mesma intensidade.

 É preciso que haja um elemento adicional, que indica, claramente que um indivíduo é amado. Refiro-me à sincronicidade.

A sincronicidade


Pesquisas recentes (Fredrickson, 2013) apontam que o amor é considerado como uma emoção. Da mesma forma que o medo e a raiva, e não é possível senti-lo o tempo todo, ficando sujeito às modificações do contexto.

Para a pesquisadora Barbara Fredrickson, o amor não é duradouro e sim um micromomento de conexão com outras pessoas. 
As evidências sugerem que quando você realmente tem um ‘clique’ com alguém, uma sincronia momentânea, mas discernível, emerge entre os dois, conforme os gestos, a bioquímica e as descargas neurais, se espelhando um no outro em um padrão que denomino ressonância de positividade. (Fredrickson, apud Araia, 2014).

O amor pode ser cego, mas é inteligente. 

Para que ocorra o amor, é necessário que os mecanismos cerebrais, responsáveis pelos comportamentos de interação afetiva estejam devidamente sincronizados, e infelizmente, isto não é um procedimento consciente. 

Por isso, não se  pode obrigar alguém a amar, se isto não for "neurologicamente possível".  

A falta de sincronicidade pode levar muitos indivíduos a  investirem em relacionamentos fadados ao fracasso, pois procuram a sincronicidade em comportamentos observáveis, gostos parecidos, etc. 

Se a teoria de Fredrickson (2013) estiver correta podemos compreender em partes, o motivo que leva alguns apaixonados (e outras pessoas conectadas entre si) a terem os mesmos comportamentos, mesmo que de forma sutil.

 Portanto, a correspondência afetiva não se resume a "fazer coisas juntos". Vai muito além disso. Não é objetiva, e sim, subjetiva. As vezes nem é observável a olho nu.  



Conclusão:

Para que o indivíduo sinta-se amado (a) é fundamental que  esteja vivencie uma relação onde estejam presentes a paixão, a intimidade e o comprometimento, e além disso esteja sincronizado com seu parceiro.

Nos relacionamentos bem sucedidos a sincronicidade equivale a compreender o outro com um simples olhar, imaginar o que o outro pode pensar sobre determinada situação; é colocar-se no lugar do outro com 100% de precisão; é saber com clareza o que o  (a) desagrada, imaginando formas de minimizar situações desconfortáveis. 

O amor não compreende julgamentos, pressupostos, desconfianças, mentiras, juízos de valores; pressupõe  compreensão; pressupõe sincronicidade!



Saiba mais sobre Relacionamentos felizes e prósperos


Referências:


ARAIA, Eduardo. O amor é uma emoção: não é eterno, mas pode ser infinito.[Online]. Disponível em: http://www.brasil247.com/pt/247/revista_oasis/140512/O-amor-%C3%A9-uma-emo%C3%A7%C3%A3o-n%C3%A3o-%C3%A9-eterno-mas-pode-ser-infinito.htm. Acesso em 08 de maio de 2015

FREDRICKSON, Barbara. Amor 2.0: Como Nossa Emoção Suprema Afeta Tudo o Que Sentimos, Pensamos, Fazemos e nos Tornamos. Cia Ed. Nacional, 2013.

STERMBERG, R. J. (1986). A triangular theory of love. Psychological Review, 93, 
  • Obrigada pela leitura. 


Gostou do Artigo? Leia outros artigos neste  blog da Psicóloga sp Maris

Se copiar, cite a fonte. Lembre-se que plágio é crime, conforme a lei 9610/18

Conteúdo protegido por direitos autoriais. Todos direitos reservados.


Artigo criado pela 
CRP-SP 06-121677.  


Artigo criado pela  Psicóloga sp Maristela Vallim Botari  CRP-SP 06-121677.




Mais de 12 anos de experiência profissional acolhendo indivíduos de diferentes faixas etárias em psicoterapia, com uma abordagem humanizada e centrada na pessoa. 

Seu trabalho consiste em oferecer um espaço seguro e confidencial para que seus clientes possam explorar seus pensamentos, emoções e comportamentos, e trabalhar em direção a uma vida mais saudável e satisfatória.

Atende crianças a partir de 10 anos, adultos, casais e também indivíduos na terceira idade.
Sua abordagem é adaptada às necessidades e objetivos específicos de cada cliente, com foco em ajudá-los a superar desafios emocionais, psicológicos e comportamentais.

Acredita que a psicoterapia é uma ferramenta valiosa para aprimorar o autoconhecimento e o bem-estar, e estou comprometido em fornecer um ambiente de apoio, empatia e compreensão para cada pessoa que busque seus serviços.

Agendar uma sessão com a Psicóloga sp Maristela é simples e fácil! 

Basta clicar na Agenda Online da Psicóloga




Caso a agenda não mostre um horario adequado às suas necessidades, você pode entrar em Contato direto e agendar sua sessão de terapia direto com a Psicóloga.

Enviar mensagem via WhatsApp  (11) 95091-1931


Endereço: Consultório da Avenida Paulista 

Av. Paulista, 2001 – Cj 1911 – 19 andar. 
Bela Vista - S. Paulo/SP CEP 01311-931

Horário: das 7:00 as 2100 de segunda a sexta / até as 14:00 aos sábados.

Como agendar uma consulta com a Psicóloga em São Paulo, SP .

Quero cuidar da minha saúde mental 

Para agendar sua consulta com a Psicóloga e receber acolhimento humanizado, você pode optar pela Psicóloga online ou presencial.
Clique nos botões abaixo.
 
psicologa sp, Psicóloga SP, psicóloga perto de mim. Psicóloga em São Paulo, Psicóloga online,  psicóloga preço, consulta com psicóloga, Psicóloga Bela vista, psicólogo zona sul sp, psicólogo centro sp, psicólogo online, psicólogos em são Paulo, Psicologo SP.


Caso a agenda não mostre um horàrio adequado às suas necessidades, entre em contato e agende direto com a Psicóloga sp.

WhatsApp - (11) 95091-1931- Email: contato@psicologa-sp.com.br
Agende consulta psicológica . psicologa, psicologa preço, consulta com psicologa valor, psicologa sp, psicologa perto de mim, psicologa online, psicologa presencial, Psicóloga Bela Vista, Psicólogos perto de mim, 

Quem leu estes artigos, se interessou por: