Pular para o conteúdo principal

A dificuldade de relacionamento

A dificuldade de relacionamento aflige mais pessoas do que se pode imaginar. Por que algumas pessoas apresentam mais dificuldade em se relacionar que as outras? 
O tema não é fácil e abre diversas possibilidades de entendimento. A proposta aqui não é esgotar o assunto, mas ao contrário, buscar novas formas de entendimento.


O que é a dificuldade de relacionamento?

É a dificuldade que algumas pessoas encontram de se expor ao contato íntimo o formal, nos variados contextos
psicologa em são paulo, psicologa saude bradesco, psicologa amil, psicologa sulamerica, psicologa omintAquilo que para alguns é tão natural, para outras é um pesadelo, preferindo abster-se do convívio social, isolando-se ou buscando apenas relacionamento na internet, onde não precisam se expor com totalidade, podendo "deletar os indesejáveis" quando bem entender.




O que não é considerado dificuldade de relacionamento


Não vamos considerar como dificuldade o simples fato de um indivíduo se desentender somente com uma ou duas pessoas. Isto pode ser uma questão de ajuste na relação e é assunto pra outro tópico. O foco aqui são as dificuldades que trazem limitações e prejuízos sociais, afetivos e financeiros.
Em alguns casos, a história de vida de alguns indivíduos aponta para ocorrências limitadoras durante a infância ou adolescência, levando-os a se sentirem "inferiores", ou "superiores" aos demais. Isto pode colaborar para que alguns indivíduos acumulem pequenas dificuldades para se relacionar e num dado momento percebem que não conseguem mais se relacionar de forma saudável em nenhum contexto.
Precisamos considerar que no momento histórico que atravessamos somos ensinados (através da mídia, principalmente) a temer e desconfiar de todos. Desta forma, formam-se "classes" de pessoas com interesses divergentes, o que desfavorece a formação de novos vínculos. 
Como deixar de lado as diferenças e estabelecer relações saudáveis, se não formos ensinados? Como deixar de temer o diferente? Como confiar no outro? Bem, são questões difíceis e exigem muita reflexão, amadurecimento afetivo e senso crítico bem desenvolvido.

Algumas variáveis 

  • Timidez excessiva
Pessoas que se consideram muito tímidas geralmente têm medo da reação do outro, durante os momentos de interação social. 

A vergonha que sentem indica uma tendência à acomodação, uma vez que é mais cômodo "ficar na sua", do que correr o risco de ser alvo de chacotas ou desagrado.

Em geral, pois não desenvolveram formas de lidar com a possibilidade de rejeição ou desagrado da outra parte, o que os leva a se relacionar o mínimo possível. 

Não funciona muito exigir que se “solte mais”. Ele sabe disso melhor que qualquer um. Apenas não sabe exatamente como fazer isso.



A terapia pode ajudar a encontrar formas de estabelecer vínculos saudáveis e seguros, 


  • Sentimento de rejeição crônica
Indivíduos que apresentam sentimentos crônicos de rejeição, geralmente têm dificuldades de se relacionar com qualquer pessoa, pois se consideram inferior a todos. Geralmente, justificam sua dificuldade com frases do tipo:

“Não tenho assunto”;“Sou feio(a)”;“Não sou inteligente”;“Sou rejeitado”.
Sua visão de mundo é catastrófica: acreditam que as coisas boas só acontecem aos outros, menos com ele. 


  • Sentimento de superioridade
Sim. por mais que pareça bizarro, alguns indivíduos apresentam autoimagem distorcida sobre si mesmos, considerando-se "superiores" aos demais, seja em termos de beleza, riqueza, bondade, poder aquisitivo, classe social, cultura, gostos, etc. 

Estes indivíduos tendem a ser absurdamente seletivos em suas interações sociais, muitas vezes a humilhar pessoas que consideram "inferiores".


Neste caso, a dificuldade de relacionamento é causada pela falta de humildade e empatia, pois estes indivíduos tendem a ser seletivos, escolhendo se relacionar apenas com pessoas que supostamente "estejam à sua altura". Esta escolha é fadada ao fracasso, por dois motivos:

1) Pela cegueira afetiva: não conseguir enxergar as qualidades do outro, focando apenas os defeitos;
2) Pelo narcisismo exacerbado: não desejam simplesmente se relacionar, mas sim, cercarem-se de pessoas que possam cultuá-los, prestando-lhes "homenagens e adoração"

Como lidar com a dificuldade de relacionamento?

Para modificar este quadro, é importante:
  • Ressignificar a auto imagem, quebrar conceitos e preconceitos, desfazer ideias cristalizadas a respeito de si mesmo e do mundo, abrir-se ao outro, deixar de lado (na medida do possível) o sentimento de superioridade, pois são barreiras que contribuem para o isolamento social, trazendo prejuízos em todas os contextos. 
  • Compreender o que é um relacionamento - Relacionamentos são vias de mão dupla. É preciso disposição para compreender e se adaptar ao outro. 
  • Romper as barreiras - Passar em revista seus valores e verifique se não é você que está rejeitando o mundo a sua volta. 
  • Algumas pessoas tendem a eliminar certos relacionamentos por medo de ser "contaminados" pelas ideias alheia e desta forma, perdem a chance de conhecer pessoas maravilhosas e viverem bons momentos. 
  • Se este não é seu caso, ótimo. Se for, verifique o que é melhor: conviver com suas ideias cristalizadas e na solidão ou abrir mão delas e estabelecer relacionamentos saudáveis? 
  • Estar disponível: Bons amigos ou parceiros afetivos não caem do céu. Estas relações precisam ser cultivadas. Por isso é importante sair do ostracismo e demonstrar desejo de proximidade por meio de atitudes simples. 
Conclusão
Se você convive com pessoas que têm dificuldade de relacionamento, saiba que a solução não é forçar o indivíduo a se relacionar, ao contrário, devem-se buscar os reais motivos que conduziram este indivíduo a esta situação de isolamento, portanto cuidado para não invadir o espaço da pessoa ao tentar ajudar. 

Pode ser que ela não queira a sua ajuda. Se precisar, com certeza pedirá.


Seja lá qual for o motivo que leva o indivíduo a não se expor, só podemos considerar como problemático o comportamento de esquiva que tiver trazendo sofrimento para o indivíduo. Nestes casos, sugiro que busque por apoio terapêutico.

Referências
ABREU, C. N. de. Tipos de apego: Fundamentos, Pesquisa e Implicações Clínicas. São Paulo. Casa do Psicólogo, 2005.
LEVINE, A; HELLER, R.S.F. Apegados: um guia prático para estabelecer relacionamentos românticos e duradouros. Ribeirão preto. Ed. Novo Conceito: 2013.



Leia também:



*

Clínica de Psicóloga em SP, Psicóloga saúde Bradesco, Psicóloga  Amil, Psicóloga Sulamérica,  Tratamento depressão e Ansiedade, Problemas de Relacionamentos. Psicóloga e terapia infantil, Casal,  Individual. Psicóloga Online. Os psicólogos com preços  acessíveis em São Paulo, 2019. Ligue e pergunte qual o valor da consulta, a primeira consulta é Grátis. Verifique as datas, agende uma consulta  com psicóloga na Vila Mariana .

Popular Posts

Postagens mais visitadas

psicologa sp

● 11 sinais de Ansiedade ● Psicóloga SP

Saiba quais são os 11 sinais de ANSIEDADE. Embora Ansiedade sugira um sentimento ruim, na verdade trata-se de um conjunto de emoções primitivas que têm por finalidade garantir nossa existência. A palavra "Ansiedade" deriva do latim  anxiosus,  e significa "inquieto" A Ansiedade surge sempre de algum incômodo, que se torna preocupação. Esta preocupação ocupa muito da nossa capacidade cognitiva, criando um estado ansioso (ansiedade). Neste estágio, o pensamento pode se tornar paranoide, o que pode colaborar para uma crise de ansiedade generalizada. No entanto, quando estes sentimentos se tornam muito amplos, desproporcionais às circunstâncias, pode indicar um transtorno de ansiedade generalizada. 11 sinais que podem indicam Transtorno de Ansiedade Generalizada 1. Preocupações excessivas; 2. Dificuldade em conciliar\manter o sono e apetite; 3. medos irracionais; 4. tensão muscular; 5. Indigestão, ou problemas gástricos\intestinais; 6. Frio na

Psicóloga Presencial e Online em São Paulo


Você nunca passou na Psicóloga? Se gostaria de passar, fique tranquilo porque é normal que você tenha muitas dúvidas.

Algumas pessoas que nunca passaram por consulta com psicólogos tendem a idealizar a consulta as vezes de forma negativa e isto causa bastante ansiedade.

Relaxe e venha. Traga para a Psicóloga apenas o que achar válido, afinal o momento é seu.

Se você nunca passou na psicóloga e gostaria de passar agende uma consulta psicológica

Existem algumas regras para saber se você precisa ou não de terapia:

Todos precisamos de terapia. Porém não precisa ser a todo momento. Existem situações que é possível atravessar sozinho(a), mas em outras a ajuda emocional oferecida por um psicólogo pode ser muito bem vinda.

  • Quando a ansiedade, o estresse, a depressão, ou a dificuldade de relacionamento estiverem provocando muitos danos emocionais;
  • Quando você estiver perdido em seus pensamentos, sem conseguir achar uma direção, uma resposta para sua vida;
  • Quando o medo estiver maior que a coragem de enfrentar as dificuldades;
  • Quando estiver com vergonha de ser quem você é;
  • Quando a dor da for muito insuportável;
  • Quando seu sono, seu apetite e seu desejo sexual estiver comprometidos;
  • Quando você for vítima de abuso psicológico....
  • Sim, Talvez seja a hora de buscar Terapia.
Leia mais sobre Terapia

Se você busca indicação de bons Psicólogos em SP, convido você a vir conhecer o trabalho.

É por meio do diálogo que construiremos um bom processo psicoterápico. Sendo assim, aguardo seu agendamento de uma sessão de terapia para que você possa conversar sem pressão.

Agende uma consulta

________________________________________

Coloco-me a disposição para esclarecer suas dúvidas pelo Whatsapp (11) 99984-9910, e deixo um convite explícito para que você venha conhecer meu trabalho como Psicóloga em sp, no Consultório da Vila Mariana.

Tratamento depressão e Ansiedade, Problemas de dificuldade de relacionamento, ligue e pergunte qual o valor da consulta com psicólogo. Terapia online ou terapia presencial
COvid-19: Uso de máscara é obrigatório

Seja você mesmo(a).

Onde fica o consultório de psicologia na vila mariana?

Consultório de Psicologia Vila Mariana está situado quase na entrada do Metrô Ana Rosa, o que facilita o acesso para que busca Psicólogos na Vila Mariana, Paraíso, Chácara Klabin, Vila Clementino, Ibirapuera, Aclimação, Liberdade, Vergueiro, Cambuci, Jardim Paulista etc


Psicóloga em SP. Terapia Online e presencial. Terapia crianças adultos e casais. Psicóloga Convênio Bradesco Amil Sulamérica reembolso. Preço acessível. P, Psicologa