Pular para o conteúdo principal

●Porque os Psicólogos não atendem de graça?

A questão da Gratuidade nos serviços dos psicólogos é uma questão delicada.


Psicologos gratuitos em sp: saiba onde encontrar


deixo aqui um link onde é possível encontrar muitos Psicólogos Gratuitos em São Paulo e outro falando sobre onde encontrar atendimento Psicológico emergencial em SP

Porque os Psicólogos não atendem de graça?


Por diversas razões:

Existem custos, impostos, taxas, manutenções, prestadores de serviços que precisam ser pagos, para que os  atendimentos possam ocorrer, o que inviabiliza a gratuidade.

Certamente, estamos cientes que vivemos em um país em desenvolvimento, onde muitas pessoas não têm poder de aquisição para suas necessidades básicas, como moradia, estudos, saúde e segurança.

Entendemos que, justamente por conta dos aspectos aversivos da vida, muitas pessoas sofrem de depressão e ansiedade.

No entanto, os Psicólogos são pessoas que, por meio de muito estudo, muito trabalho, muito empenho, conseguiram se formar e assim, colocar em prática suas aspirações ideológicas. 


A grande maioria dos Psicólogos entrou na profissão pela porta da vocação, alguns por amor, outros ainda pela porta da dor. Não importa. 

O fato é que aqui chegamos. 

E há um custo gigantesco para que consigamos nos manter na profissão, e oferecer um serviço de qualidade.

Para quem não sabe, a formação do Psicólogo inclui:

1. 05 anos obrigatórios, sendo 2,5 de estágios obrigatórios, prestando serviços de psicologia gratuitos à população. Estes estágios são em clínicas escolas, ONG's, Hospitais e escolas da rede pública, conselhos tutelares, CAPS, CRAS, UBS's, etc. fonte: ABEPSI

2. Pós-graduação. Especialização em alguma abordagem (áreas do conhecimento), para que possa adquirir conhecimentos mais específicos sobre o trabalho que pretende desenvolver. (Eu escolhi a Análise do Comportamento, a Neurociência e a Psicopedagogia)

Depois de formados, nós precisamos:

1) Passar por supervisões, para adquirir conhecimento com Psicólogos que sabem mais que nós; TRATA-SE DE UM APRIMORAMENTO.

2) E claro, precisamos cuidar do nosso estado emocional, para calibrar nossa capacidade empática e não prejudicar nosso cliente com excesso ou falta de empatia, PORTANTO FAZEMOS NOSSA psicoterapia, TAMBÉM

3) Participar de congressos, feiras e eventos para atualização do nosso conhecimento, afinal em Psicologia, nós trabalhamos com aquilo que muda a cada segundo: O comportamento e as EMOÇÕES HUMANAS.

4) Pagar a anuidade de um conselho de classe, o Conselho Regional de Psicologia (CRP), órgão que visa regularizar a atuação do Psicólogo em todo o país, fiscalizar a prática profissional e orientar os psicólogos sobre questões pertinentes, como preconceitos, discriminações, Pandemias, suicídio, etc. Este órgão funciona como um catalizador de informações para todos os Psicólogos do Brasil.


Isto significa que o Psicólogo precisa ter uma sala, arejada, em um local de fácil acesso, limpa, e silenciosa, onde o cliente possa vir sem constrangimento e sentir-se acolhido e confortável. 
Não precisa ser "luxuoso", mas precisa ser  acolhedor.

6) Manter seus equipamentos de tecnologia em perfeito funcionamento, pois agora que podemos realizar terapia online, é preciso que nossos equipamentos de conexão, computador, celular, tablet etc, estejam funcionando satisfatoriamente;

7) Pagar impostos: Pagamos ISS, Previdência social e Imposto de Renda, IPTU, IPVA, etc. (pra dizer o mínimo). Em cada recibo que eu emito, uma fatia disto vai para o carnê-leão. (Lembre-se que ser ético inclui não sonegar impostos).

Tudo isto serve para:
1) Levar ao nosso paciente um serviço de qualidade, permeado por conhecimentos atualizados sobre comportamento humano, emoções, doenças mentais, etc.

 (Você não quer ser atendido por um Psicólogo desatualizado, correto?)

2) Oferecer um um ambiente acolhedor, onde o cliente possa se sentir confortável:
 
Simplesmente não dá pra atender "em qualquer lugar", onde tenha muita gente passando e ouvindo o cliente se expressar. Seria muito limitante.

É preciso sigilo. É preciso segurança.

Também não dá pra atender em um ambiente com péssimas condições de iluminação, mau-odor ou sem condições de segurança.

O Psicólogo que atende gratuitamente:


Certamente, muitos colegas de profissão atendem gratuitamente. 

Porém são motivados por razões particulares, financeiras, ideológicas, filosóficas de caráter muito particular. Portanto, sabem o que estão fazendo, seus motivos e qual a finalidade desta prática. 

Eu mesma conheço várias pessoas que prestam este atendimento. Sem querer expor suas razões íntimas e particulares, acho válido que você (cliente) quando o encontrar, pergunte a ele, o porquê. Ele terá prazer em esclarecer este ponto.

Mas Observe que esta prática não é comum. Conforme foi dito acima, PSICOLOGIA É CIÊNCIA E PROFISSÃO, portanto é um dos campos do saber mais onerosos que existe no Brasil.

Ou seja, alguns Psicólogos conseguem atender gratuitamente, sim, mas ISTO NÃO É O PADRÃO. 

O Padrão é cobrar um preço considerado justo com nossos investimentos e gastos, adequado à nossa prática, dividido pelo tempo de investimento intelectual.

Quanto custa uma sessão com Psicólogo?

É possível oferecer atendimento social (com preços acessíveis) para quem não concordar com os valores cobrados e quiser negociar um preço mais justo. 

Se este for o seu caso, converse comigo pelo whatsapp(11) 99984-9910 

Estou aberta a negociações de valor. 

Juntos, vamos encontrar um preço de psicoterapia que seja adequado para todos.








Para que serve o Psicólogo?


O trabalho do Psicólogo é considerado de grande relevância dentro da saúde suplementar, e no âmbito institucional (Jurídico, hospitalar, escolar, etc), junto com outros trabalhos, de outras áreas.

Nossa finalidade é promover o bem estar emocional dos nossos clientes, para que eles consigam vencer os desafios da vida, de maneira mais assertiva.

O Papel do Psicólogo na sociedade


Nas últimas décadas, o papel do   PSICÓLOGO na sociedade tem se expandido, agregando novas ferramentas de trabalho disponíveis nos variados meios sociais. Encontramos PSICÓLOGO clínico, educacional, organizacional, nas escolas, nas empresas, hospitais, conselhos tutelares, defensorias públicas, etc., Isto significa que o   PSICÓLOGA hoje tem uma função mais ativa na sociedade.

O Papel do Psicólogo na pandemia do COVID-19

Estamos em junho de 2019, atravessando uma dura crise econômica, por causa da pandemia de COVID-19. 

Isto fez com que todos nós repensássemos nossas atitudes tanto pessoais quanto profissionais.

Percebe-se um aumento das buscas por psicólogos em situações extremas como esta. 

Algumas pessoas, realmente, não têm condições de pagar por um atendimento psicológico.

 É justo que fiquem sem atendimento? Claro que não. Todas as pessoas devem contar com o apoio psicológico quando for necessário. 

Para quem busca: por*psicólogos gratuitos*, *terapia gratuita*, Atendimento psicológico gratuito*, etc. Deixo aqui um link com muitos lugares que oferecem *Psicólogos Gratuitos*

*A consulta psicológica gratuita*

No entanto, nem todos os Psicólogos, ou clínicas de Psicologia conseguem oferecer atendimento psicológico gratuito.

Nem todos os profissionais se sentem preparados (tecnicamente, financeiramente, etc...) para atender esta demanda.

E isto ocorre porque um atendimento psicológico envolve diversos custos operacionais: preparo intelectual, alimentação, deslocamento, aluguel de sala, pagamento de internet (para quem faz atendimento online), gasto com materiais (testes, recibos, carimbos, etc).

Portanto, é um trabalho que exige muito mais do que disposição e boa vontade; exige preparo técnico.

Como é feita a divulgação do atendimento psicológico gratuito?

Da forma mais transparente possível.

Se o psicólogo pretende atender gratuitamente durante algum tempo, ou se é apenas algumas sessões, ou se é um tratamento por tempo indeterminado, isto tem de ficar bem claro para o cliente.


" Não há impedimento na legislação profissional em prestar serviços psicológicos de forma voluntária/gratuita. 

Contudo, não deverá haver referências a valores na divulgação do serviço. Caso se trate de uma gratuidade, esta informação deverá ser disponibilizada individualmente.

Ressalta-se, ainda, que as(os) profissionais devem ter uma proposta de trabalho com início, meio e fim, ou que garanta a gratuidade por todo o período da prestação do serviço. 

Salienta-se que deve haver o compromisso profissional estabelecido, com direitos e obrigações, como em qualquer outra situação de sua prática."



Em hipótese alguma, um psicólogo deve usar situações de calamidade pública (acidentes, pandemias, desastres, etc) para se promover, oferecendo serviços gratuitos para cobrar posteriormente.

Se convocado a trabalhar nestas situações, o trabalho deverá ser gratuito. Porém são situações extremas. Vejamos o que o Conselho Regional do Rio Grande do Sul diz a respeito:



"É vedado utilizar-se de um momento de calamidade para ofertar atendimentos gratuitos temporários com o intuito de ampliar o número de pacientes atendidos para depois passar a cobrar por esses atendimentos quando a calamidade terminar. 

Nesse sentido, um cuidado que a/o profissional de Psicologia deve ter se refere à divulgação de atendimentos gratuitos em meio à pandemia como forma de propaganda do seu trabalho e sem o alinhamento com as políticas públicas" 

Fonte: CRPRS

Sobre a Publicidade em Psicologia: 
Faz todo sentido pensar nas práticas de publicidade, quando o assunto é a subjetividade humana, afinal não estamos vendendo um produto pronto, como uma caixa de sabão em pó, cuja propaganda garante que "deixa suas roupas mais limpas".
Primeiro, porque não podemos garantir curas. Podemos garantir acolhimento nos momentos de angústia, é diferente. Esperamos que nossas práticas psicológicas revertam em bem-estar emocional para nossos clientes. Portanto, nossa "publicidade" tem de ser mais esclarecedora e menos apelativa, para evitar que o cliente seja induzido a procurar por psicólogos.
Segundo porque existem muitos mitos, quando o assunto é Psicologia, Psicoterapia, Psicólogos, terapia, etc. Portanto, nossa "publicidade" deve caminhar no sentido de esclarecer a população e desmistificar algumas práticas, para que as pessoas possam saber o que esperar de um psicólogo.
Neste sentido, é importante esclarecer que o sensacionalismo não pode fazer parte da publicidade para psicólogos. Portanto, fique atento (a). 

"A divulgação de serviços psicológicos é importante instrumento de sensibilização e ampliação do acesso da sociedade à ciência e à profissão psicológicas. No entanto, a mesma não pode ser realizada de forma sensacionalista e fora dos parâmetros éticos, indicados no nosso Código de Ética Profissional do Psicólogo, conforme segue:
Art. 20º – O psicólogo, ao promover publicamente seus serviços, por quaisquer meios, individual ou coletivamente:
  1. a) Informará o seu nome completo, o CRP e seu número de registro.
  2. b) Fará referência apenas a títulos ou qualificações profissionais que possua.
  3. c) Divulgará somente qualificações, atividades e recursos relativos a técnicas e práticas que estejam reconhecidas ou regulamentadas pela profissão.
  4. d) Não utilizará o preço do serviço como forma de propaganda.
  5. e) Não fará previsão taxativa de resultados.
  6. f) Não fará auto-promoção em detrimento de outros profissionais.
  7. g) Não proporá atividades que sejam atribuições privativas de outras categorias profissionais.
  8. h) Não fará divulgação sensacionalista das atividades profissionais."










O Conselho Federal de Psicologia fez uma nota esclarecendo alguns pontos sobre os atendimentos voluntários/gratuitos:


Portanto, é necessário atentar aos preceitos do Código de Ética Profissional do Psicólogo e demais normativas do Sistema Conselhos de Psicologia do Brasil, destacando-se:

Art. 1º – São deveres fundamentais do psicólogo:
  1. b) Assumir responsabilidades profissionais somente por atividades para as quais esteja capacitado pessoal, teórica e tecnicamente.
  2. c) Prestar serviços psicológicos de qualidade, em condições de trabalho dignas e apropriadas à natureza desses serviços, utilizando princípios, conhecimentos e técnicas reconhecidamente fundamentados na ciência psicológica, na ética e na legislação profissional.
  3. d) Prestar serviços profissionais em situações de calamidade pública ou de emergência, sem visar benefício pessoal. "



Como lidamos com esta situação?



Evidentemente,  cada profissional saberá a melhor forma de de trabalhar e espera-se que agirá dentro dos princípios éticos que norteiam a profissão.


Eu, por exemplo, ofereço a 1ª sessão sem custo, e sem compromisso algum; deixo meu cliente livre para voltar se quiser.

O Pagamento das demais sessões são negociadas de forma individual e particular.



O Atendimento social em Psicoterapia.

Existe também a modalidade de "Atendimento social", ou seja, onde o valor das sessões de Psicoterapia é cobrada de acordo com as possibilidades do cliente, permitindo uma certa flexibilidade.


















Para quem busca: busca por *psicólogos gratuitos*, *terapia gratuita*, Atendimento psicológico gratuito*, etc. Deixo aqui um link com muitos lugares que oferecem *Psicólogos Gratuitos*


psicologa sp

1ª Sessão de Terapia: como funciona

Se você nunca passou na Psicóloga, ou por algum motivo precisou interromper e gostaria de retomar sua Psicoterapia, fica aqui um convite para vir conhecer meu trabalho, expondo suas queixas e fazendo um pré-diagnóstico. Algumas pessoas têm medo de vir à Psicóloga. Isto é normal, mas não é "legal". O ideal seria passar em um Psicólogo, pelo menos uma vez na vida, para inferir seu estado emocional, para conhecer o Trabalho dos psicólogos, desabafar, e para colocar em dia suas variáveis emocionais, aquelas que, quando acumulam, geram depressão, ansiedade, dificuldade de relacionamento. Psicólogos não existem apenas para tratar de "pessoas com problemas". Oras, todos nós temos problemas a resolver, afinal a vida é um desafio constante. Os Psicólogos existem justamente para favorecer o enfrentamento destes problemas emocionais, que todos atravessamos. Trata-se de uma escuta imparcial, acolhedora e humanizada, sem julgamentos, sem preconceitos de qualquer natureza. Observ