De quem é a culpa pelo fracasso da relação?

Quando uma relação chega ao ponto da instabilidade e as brigas passam a ser constantes é sinal de alerta. 
Psicóloga Bradesco, Psicóloga Omint, Psicologa Amil, Psicologa sulamérica

Existe uma tendência a culpar o outro pelo fracasso da relação: seja por frieza, falta de atenção, incompreensão, etc

Mas será que o outro sempre é culpado? Não nos cabe fazer uma análise crítica da situação para pensar se temos (ou não) uma parcela de culpa nos conflitos que se apresentam?

Esta análise deve ser feita de forma fria, questionando sempre se você:


  • evitou situações conflituosas;
  • não provocou deliberadamente situações que deixassem o outro com raiva, ciúme ou inveja;
  • expôs seus sentimentos de forma clara, sempre que as circunstâncias se apresentaram;
  • perdoou o que dava pra ser perdoado;
  • pediu perdão quando foi necessário;
  • foi sincero;
  • não expôs os defeitos e as fraquezas do outro para pessoas de forma indevida, para terceiros;
  • Tomou cuidados para que o outro não perdesse a calma;
  • Expôs para o outro sua insatisfação, sem machucá-lo.
Relacionamentos não precisam ser embates. É possível conviver com o outro de forma saudável, mas isto exige uma análise crítica constante, em todas as situações.












Psicóloga Bradesco, Psicóloga Omint, Psicologa Amil, Psicologa sulamérica