Pular para o conteúdo principal

Sobre a divulgação de *preço de consulta psicológica*

✦Se você busca Psicólogos de preço acessível, terapia acessível, psicologa baixo custo, psicólogos preço popular, etc. deve ter observado que não é fácil encontrar estes resultados nas buscas do Google. 

E os poucos resultados que aparem não refletem a os resultados esperados.

Visando a transparência das informações, é útil esclarecer que nós, psicólogos, por motivos de ética profissional (*Ética do Psicólogo*),  devemos agir com cautela na divulgação de * de preço acessível, terapia acessível, psicologa baixo custo, psicólogos preço popular, etc para garantir que nossa ética não seja violada e não pratiquemos concorrência desleal, nem sensacionalismo.

artigo 38 do Código de Ética Profissional do Psicólogo veda ao psicólogo:
a) Utilizar o preço do serviço como forma de propaganda;

Dos honorários profissionais (Código de Ética Profissional)

Art. 39º Os honorários serão fixados com dignidade e com o devido cuidado, a fim de que representem justa retribuição aos serviços prestados pelo Psicólogo, o qual buscará adequá-los às condições do atendido, tornando a profissão reconhecida pela confiança e pela aprovação da sociedade.

Art. 40º Os honorários serão planejados de acordo com as características da atividade e serão comunicados à pessoa ou instituição antes do início do trabalho a ser realizado.


O Conselho Federal de Psicologia disponibiliza uma tabela de preço de referência que serve como parâmetro de custo.

Porém, somos livres para negociar o preço de forma individual com o cliente (Vide art 39). 

E, no intuito de oferecer um atendimento que esteja em concordância com as possibilidades de cada cliente, é possível realizar "Atendimento social", o que não fere a ética, nem a capacidade técnica de um atendimento psicológico.

Veja o que diz o CRP-PR, mencionando o Código de Ética Profissional do Psicólogo, orienta:

"O Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) disponibilizou, em junho, uma Nota Técnica com o intuito de orientar profissionais sobre a chamado “atendimento social”, destinado a pessoas em situação de exclusão social ou de vulnerabilidade e risco. A prática gera dúvidas nas(os) Psicólogas(os) tendo em vista que o Código de Ética Profissional do Psicólogo (CEPP) proíbe a utilização do preço dos serviços como meio de propaganda.


De acordo com a nota, a divulgação dos serviços não poderá ser realizada por meio de “cupons” de desconto ou com a utilização de termos como: preço acessível, custo social, vaga social, desconto, gratuito, valores diferenciados, valores reduzidos ou qualquer outra frases e termo que faça referência ao valor do serviço, caracterizando concorrência desleal. (Grifo nosso)

A orientação, neste caso, é a de utilizar o termo “Atendimento Social”, “visto que desta forma está se qualificando o atendimento, e não o valor acessível a ser cobrado, mesmo que este esteja implícito no próprio termo”.

Independentemente do valor acordo entre a(o) Psicóloga(o) e seus pacientes, é dever da(o) profissional assegurar a qualidade técnica e ética para o desempenho de suas funções e também manter registros documentais que poderão ser fornecidos aos usuários do serviço. Ainda, deve-se descrever, em contrato formal escrito, os critérios de seleção do público a ser atendido e as condições sob as quais o atendimento acontecerá. 

Entre os critérios, não é permitido incluir a participação em instituições, a troca ou permuta de trabalhos ou o recebimento de qualquer vantagem. Além disso, o tratamento não pode ser prolongado sem necessidade. "

Fonte:





  • Para saber o *preço da consulta psicológica*, clique aqui

    ✦Se você busca  *psicólogos gratuitos em São Paulo*, *Terapia grátis* etc. saiba onde encontrar estes serviços: clique aqui


psicologa sp

1ª Sessão de Terapia: como funciona

Se você nunca passou na Psicóloga, ou por algum motivo precisou interromper e gostaria de retomar sua Psicoterapia, fica aqui um convite para vir conhecer meu trabalho, expondo suas queixas e fazendo um pré-diagnóstico. Algumas pessoas têm medo de vir à Psicóloga. Isto é normal, mas não é "legal". O ideal seria passar em um Psicólogo, pelo menos uma vez na vida, para inferir seu estado emocional, para conhecer o Trabalho dos psicólogos, desabafar, e para colocar em dia suas variáveis emocionais, aquelas que, quando acumulam, geram depressão, ansiedade, dificuldade de relacionamento. Psicólogos não existem apenas para tratar de "pessoas com problemas". Oras, todos nós temos problemas a resolver, afinal a vida é um desafio constante. Os Psicólogos existem justamente para favorecer o enfrentamento destes problemas emocionais, que todos atravessamos. Trata-se de uma escuta imparcial, acolhedora e humanizada, sem julgamentos, sem preconceitos de qualquer natureza. Observ