Pular para o conteúdo principal

Como lidar com pessoas difíceis?

 Antes de tratar sobre "como lidar com pessoas difíceis, cabe uma reflexão crítica:

Como lidar com pessoas difíceis?


"Será que nós, as vezes, não somos pessoas difíceis"?


Todos nós temos pontos a melhorar.

Neste artigo vou tratar de como lidar com as pessoas difíceis, tóxicas ou abusivas.

Não me refiro às pessoas que simplesmente discordam de nós, ou nos dão "patadas" de vez em quando. Isso é normal e dá pra levar na esportiva, sem grandes estresse.

Refiro-me aqui àquelas pessoas que estão incessantemente testando nossa paciência, nossa tolerância, e  nossos limites, por meio de pressão emocional 

(gritos, xingos, reclamações, perseguições, calúnias, difamações,  pressões, humilhações, exposições injustas e desnecessárias, etc.)

Estou usando como ícone de "pessoa difícil", a figura de Miranda Priestley (O diabo veste Prada), apenas para ilustrar, a partir de seu comportamento, o que podemos entender como pessoas difíceis.

Para quem assistiu ao filme, pode observar que a vida da assistente Andy virou um inferno depois que entrou para o "Time Runaway".

Miranda, a editora chefe da revista desconhecia o sentido elementar da palavra "Empatia", tratando seus funcionários como se fossem objetos disponíveis para seu uso, descartando-os quando não houvesse mais interesse.

Para que Andy conseguisse um mínimo, uma migalha de reconhecimento por parte de Miranda, teve que abrir mão da sua vida familiar, afetiva, social, de seus valores pessoais, seu gosto, seu estilo. Ela só percebeu que estava convivendo numa situação abusiva quando começou a perder seus valores éticos, seus princípios básicos.

Pessoas difíceis fazem exatamente isso: te sugam até o seu limite, e quando não interessa mais, elas te descartam, afinal são verdadeiros vampiros emocionais. Quando suas vítimas não têm mais o que oferecer, elas vão em busca de novas potenciais vítimas, repetindo padrões de comportamento abusivo.

Elas podem mudar?

Podem. Mas não compete a você esta tarefa. Lembre-se que você não é um SUPERHERÓI, ou SUPERHEROINA.


Como lidar com pessoas difíceis:

Na minha história de vida, eu me deparei com pessoas difíceis em 03 ocasiões, sendo uma delas na infância, 01 no trabalho e 01 no ambiente acadêmico.

Aprendi a lidar com elas da seguinte forma:

1) nunca bater de frente.

2) ligar o modo "invisibilidade"

3) ouvir e acolher sempre que possível;

4) ajudar se for necessário;

5) não tratar de temas polêmicos;

6) aprender a negociar interesses;

7) aceitar que nem sempre você vai conseguir agradar;




◈ Quem são as pessoas difíceis?


Segundo Murray (2208)  as pessoas difíceis poderiam ser categorizadas diversas maneiras diferentes:


O pessimista  - Aquele que enxerga absolutamente tudo pelo viés mais negativo que conseguir imaginar; e quando chegar ao ponto mais negativo de algo, ainda assim, consegue imaginar ocorrências futuras negativas, com pouquíssimas probabilidades de acontecer. tais pessoas quase nunca sorriem, ou demonstram atitudes favoráveis. 
O Sugador de Energia. -Conhecidos como "Vampiros afetivos", são aquelas que simplesmente "pesam" nos ombros dos outros"; trazem demandas pesadas e jogam para o outro resolver.
O Critico. -  Pessoas que acham defeito onde é impossível achar defeito; estão sempre prontas a apontarem o dedo na direção do outro, assumindo uma suposta posição de autoridade, como se fosse o detentor do saber supremo e acreditam-se aptos a criticarem tudo.
O juiz/ acusador - Quase todos nós, em algum momento, assumimos este papel, e por isso é preciso ficar vigilante para não cometer nenhum dano, isto ocorre porque estamos o tempo todo julgando algo. Você que lê este artigo, neste momento está formando algum julgamento sobre ele, ou sobre alguém, ou sobre si mesmo. Isto é Natural; porém não podemos deixar esta capacidade judiciosa tomar conta de nós a ponto de conduzir nossos relacionamentos de maneira equivocada; Eles nunca reconhecem seus erros e sempre encontram alguém para culpar.
O melindroso - Não chega a ser uma pessoa difícil, porém, é um perfil que exige bastante paciência, pois está sempre com o "pé atrás"
O intimidador - está sempre fazendo ameaças reais ou imaginárias.
O introspectivo: aqueles que não falam, não interagem, não respondem cumprimentos, 
O "Fábrica de Desculpas": aqueles que criam desculpas para não fazer sua obrigação;
O desagradável 
O agressivo: são pessoas que gritam, explodem, batem, jogam coisas no chão, etc.
O Reclamão: são pessoas que reclamam de absolutamente tudo, e nada está bom, nem medianamente bom.
Os medíocre: São aqueles que não conseguem reconhecer o esforço de ninguém, está sempre puxando as pessoas para baixo, seja emocionalmente, socialmente ou profissionalmente.
Os depreciativos: diferente do medíocre, estão sempre depreciando os valores das pessoas que não pertencem ao seu círculo.
O invejoso: vão muito além da competitividade, tendem a destruir/sabotar as conquistas dos outros
Os falsos: ou dissimulados, são pessoas que nunca mostram sua verdadeira face;
Os Fofoqueiros: aquelas que falam, falam, falam,
O Mandão: aquele que impõe regras, muitas vezes impossíveis de seguir para os outros.


{continua}

Referências:


BERCKHAM, Bárbara
Como se defender de ataques verbais.
Rio de Janeiro: Sextante, 2011.


OXMAN, Murray.
Guia rápido para lidar com pessoas difíceis: reconheça os 20 tipos de pessoas- problema. 2. ed. 
São Paulo: Editora Gente, 2008.

Comentários

PSICÓLOGOS SÃO PAULO AVENIDA PAULISTA

psicologa sp

♦ Como escolher Bons PSICÓLOGOS - Psicologa sp

  ♦ Como escolher Bons PSICÓLOGOS O bom psicólogo trata todo mundo como gostaria de ser tratado no nível profissional. Como toda escolha na vida, escolher um BOM PSICÓLOGO não é uma tarefa fácil. Existem milhares de Psicólogos excelentes em São Paulo e no Brasil inteiro, e no resto do mundo. É Justamente este excesso de profissionais, abordagens, posturas e especialidades que dificulta a busca. Escolher um bom Psicólogo é tão difícil quanto escolher um bom dentista, um bom dermatologista, um bom nutricionista, um bom advogado, um bom cabelereiro, um bom restaurante, etc. Checamos algumas referências na internet (que na maioria das vezes nos dá uma pálida visão) e arriscamos. Com Psicólogos não pode ser bem assim, pois é preciso levar em conta alguns fatores: Localização: Onde é o consultório do Psicólogo ? Fica fácil pra você chegar? Não Difícil sair? Você consegue chegar a tempo para a consulta? Isto é pertinente porque a maioria dos Psicólogos está sempre com a agenda apertada ,

PSICOLOGA SP | PSICÓLOGA AVENIDA PAULISTA