Pular para o conteúdo principal

Modificação de comportamento, pensamento e atitudes


Modificação de comportamento, pensamento e atitudes

Será que é possível mudar o comportamento alheio?
Alguns teóricos afirmam que sim, basta apenas reforçar suas boas condutas, evitando o confronto direto, a discussão infrutífera. 

De fato, a psicologia tem mostrado (ao longo destes quase 160 anos de existência enquanto ciência independente), que as técnicas de modificação de comportamento via reforçamento positivo/negativo funcionam, levando em conta alguns critérios, mas exigem uma dose diária de paciência.

Promover a modificação do comportamento alheio trás uma exigência sem possibilidade de negociação: é precisar mudar o próprio comportamento.

"Mas, se o outro está errado, porque eu tenho que mudar?"

É a pergunta que ouço sempre que menciono este assunto e merece esclarecimento: 

Modificar o comportamento não quer dizer que você tenha que ser uma pessoa 100% perfeita, pra "servir de exemplo", nem que seja culpado(a) pelo comportamento inadequado do outro. 

Muitas vezes, as tentativas de agradar o outro são tiros que "saem pela culatra", configurando-se como comportamentos precisam ser revistos, buscando suas causas e compreendendo suas consequências.

A modificação de comportamento exige modificação cognitiva, ou seja, uma reestruturação na forma de conceber o mundo e as pessoas; exige a ampliação da capacidade de abstração, de buscar soluções inteligentes para os problemas.

A primeira modificação que deve ser feita (com a ajuda de um psicólogo, ou psicoterapeuta, se possível) é abandonar as expectativas acerca das modificações do comportamento alheio. 

Alguns indivíduos esperam que o outro se ajuste ao seu modus vivendi e esquecem que o outro precisa de algum espaço.

É o caso de algumas mães que exigem que suas filhas sejam perfeitas em tudo, apenas para satisfazer sua vaidade, levando as meninas a desenvolverem quadros psicopatológicos, como a anorexia, bulimia, etc.




A relação saudável passa obrigatoriamente pelo caminho da compreensão. 

Não estou dizendo que você deva aceitar os comportamentos desajustados do outro. 

Ao contrário, comportamentos que causam muitos problemas para o indivíduo e seu meio precisam ser modificados (como por exemplo, o alcoolismo, a drogadição, etc). 

A compreensão, neste sentido significa entender os motivos que levam o outro a agir daquela forma, evitando a crítica destrutiva e mantendo uma postura firme.

Firmeza não significa ser rude. Significa ser decidido.

Em casos menos graves, onde existe apenas uma "incompatibilidade comportamental" a alternativa é negociar soluções, evitando se impor ao outro. 

Por exemplo: seu marido quer jantar fora, mas você não quer sair hoje. Seria interessante colocar isso pra ele de forma honesta, e com bastante calma.

"Mas será que ele vai ouvir? Ele não me ouve nunca".
Você já tentou?
 Tente. Sem críticas. Com firmeza.

As relações perfeitas não existem. sempre haverá divergência sobre pequenos ou grandes detalhes: No entanto é útil aprender a ser assertivo para que seus direitos sejam respeitados e sem esperar mudanças súbitas no comportamento alheio.

Volto a repetir: para promover a modificação do comportamento alheio, você precisa mudar os seus.




Quando sentir que precisa de um empurrãozinho emocional, ou seja, quando não estiver conseguindo lidar sozinho (a) com algumas coisas. Geralmente as pessoas procuram terapia quando:




·            Preço acessível de Terapia
o   Convênios

·         Tratamento para

  • v  Se você ou alguém que você conhece está passando por um problema psicológico, saiba que a Psicoterapia (realizada por psicólogos credenciados) pode ajudar bastante na compreensão de problemas emocionais como este. 
  •  
  • v  Se você nunca passou por psicólogos, ou por algum motivo precisou interromper sua *psicoterapia, e sente que precisa de ajuda emocional, para lidar com ansiedade depressão, fobias, pânicos, Transtorno de personalidade, entre em contato.




Nunca Passou na Psicóloga?

Você nunca passou na Psicóloga? Se gostaria de passar, fique tranquilo porque é normal que você tenha muitas dúvidas.

Algumas pessoas que nunca passaram por consulta com psicólogos tendem a idealizar a consulta as vezes de forma negativa e isto causa bastante ansiedade.

Relaxe e venha. Traga para a Psicóloga apenas o que achar válido, afinal o momento é seu.

Se você nunca passou na psicóloga e gostaria de passar agende uma consulta psicológica



Destaques

Como encontrar o psicólogo certo ❖ Psicologa Vila Mariana SP

Como encontrar o psicólogo certo Where to begin  How to Find the Right Therapist For You Escrito port Esther Perel Texto original: https://estherperel.com/blog/how-to-find-the-right-therapist-for-you A auto-entrevista Responda a estas perguntas primeiro. Por que terapia e por que agora? Em que você gostaria de trabalhar? Qual é o resultado desejado? O que você está preparado para fazer para alcançar esse objetivo? O que você espera do seu terapeuta? Quais foram as suas experiências em terapia até agora e o que foi útil? O que não foi? Quais são as lições que você aprendeu? Seja terapia individual, de casal ou familiar, o tipo de terapeuta que eu sempre recomendo é aquele que é desafiador e direto, mas não julga; tem a mente aberta e está disposta a permitir que as pessoas explorem opções na vida muito diferentes das suas. Alguém que não se apressa em diagnosticar e patologizar, e que tem um profundo entendimento dos meandros da intimidad

ARTIGOS SOBRE RELACIONAMENTOS

Textos sobre relacionamentos, namoro, casamento, sentimentos e emoção, escritos pela Psicóloga Maris V Botari


07 dicas para a relação amorosa dar certo.

08 fatores que dificultam uma relação

09 formas de estragar um relacionamento.

09 sinais que o amor acabou

11 passos para identificar Relacionamentos abusivos

A blindagem contra apego

A dificuldade de relacionamento

A dificuldade em mostrar sentimento

Abra-se ao amor sem medo de ser feliz

Amor = Paixão + intimidade + comprometimento

Amor correspondido - Amor não correspondido

Amor custa caro

Amor desgastado: quando a relação afetiva está desigual

Amor Patológico - Amor doente

Amor sem limites

Apegados e Desapegados:

As emoções são contagiantes

Como agem as pessoas apaixonadas?

Como conquistar um amor

Como esquecer alguém?

Como manter um relacionamento saudável

De quem é a culpa pelo fracasso da relação?

Diferença entre: atração, desejo, paixão e amor.

Declarações de Amor

Dificuldade nos relacionamentos afetivos

Infidelidade no amor: como lidar e superar

Não brinque com o sentimento alheio

Não carregue uma culpa que não é sua

Não Idealize

O amor correspondido

Os Amores do Passado

Pessoas com dificuldade de relacionamento

Pessoas românticas

Por que algumas "ficadas" não se transformam em namoro?

Por que dizer "EU TE AMO" é tão difícil

Porque algumas pessoas se apegam demais enquanto outras não conseguem se apegar a nada?

Quando o amor termina

Reconciliações

Você sabe amar?

Você sabe dar e receber afeto?

Você tem medo de amar?


    Postagens mais visitadas

    Você precisa de terapia?


    Existem algumas regras para saber se você precisa ou não de terapia:

    Todos precisamos de terapia. Porém não precisa ser a todo momento. Existem situações que é possível atravessar sozinho(a), mas em outras a ajuda emocional oferecida por um psicólogo pode ser muito bem vinda.

    • Quando a ansiedade, o estresse, a depressão, ou a dificuldade de relacionamento estiverem provocando muitos danos emocionais;
    • Quando você estiver perdido em seus pensamentos, sem conseguir achar uma direção, uma resposta para sua vida;
    • Quando o medo estiver maior que a coragem de enfrentar as dificuldades;
    • Quando estiver com vergonha de ser quem você é;
    • Quando a dor da for muito insuportável;
    • Quando seu sono, seu apetite e seu desejo sexual estiver comprometidos;
    • Quando você for vítima de abuso psicológico....
    • Sim, Talvez seja a hora de buscar Terapia.
    Leia mais sobre Terapia