"Cadê minha alma gêmea?" - A busca pelo relacionamento perfeito

"Cadê minha Alma Gêmea?"
A busca pelo relacionamento perfeito.

Psicóloga Sulamérica,Psicóloga SP,  PSICÓLOGA Saúde Bradesco, Psicóloga Amil, psicologia online, , Psicologa sp

O medo do envolvimento afetivo catastrófico leva muitas pessoas a buscarem relacionamentos "quase" perfeitos, ou seja, culmina na busca pela "alma gêmea". 


Não há nada errado em buscar relacionamentos com pessoas que tenham afinidade, mas os problemas começam quando as exigências limitam as escolhas. 

Esta busca se justifica em partes pelo medo de se envolver afetivamente com pessoas que poderão trazer sofrimentos futuros, como traições, agressões ou prejuízos materiais (ou tudo isso junto). Desta forma, a busca pela "alma-gêmea" seria a busca por alguém que compartilhe os mesmos valores éticos e morais. 

Deve-se observar que o simples fato de encontrar alguém com o mesmo nível sócio-cultural não é garantia de prosperidade no amor. Mesmo que um casal compartilhe do mesmo padrão de vida, pode apresentar diferenças na forma de olhar o mundo.

Outro ponto a considerar: alguns indivíduos imaginam que a "alma gêmea" é aquela que se comporte da mesma forma que eles. Se enviam mensagem três vezes ao dia, esperam que o outro faça o mesmo; se respondem em menos de três minutos, esperam que o outro também o façam. Não conseguem lidar com a frustração de não ver suas necessidades afetivas serem atendidas no seu tempo. Ignoram que o outro tem o tempo dele. Reclamam atenção constante, o que afasta o seu parceiro afetivo. E buscam uma nova "alma-gêmea".

A reflexão que eu proponho é será que esta busca pela "alma-gêmea" não seria uma forma de jogar nos ombros alheios a dificuldade em lidar com as frustrações no relacionamentos? 

Naturalmente, alguns pontos devem ser observados: a diferença gritante de valores éticos e morais pode ser um levar um relacionamento à falência,

amor precisa de alguns pontos de sustentação

Os principais pontos são: a paixão, intimidade e comprometimento:

  • Paixão - Corresponde ao tanto de atração física e desejo pelo outro;
  • Intimidade - O quanto o parceiro se mostra confiável para guardar e compartilhar segredos;
  • Comprometimento - Envolve relações de cuidado com o outro.

Desta forma, a busca pela alma-gêmea não deveria se caracterizar por padrões estéticos, financeiros, sociais e culturais, mas sim, pelo tanto de investimento afetivo que o outro está disposto a dar, pois o que sustenta a relação, na verdade não são os pontos em comuns, mas o tanto de tolerância que se tem com os pontos divergentes do outro.

Em resumo: a "alma-gêmea" deveria ser alguém que compartilhe nossos defeitos e os tolere, e não alguém que exalte nossas qualidades. 
*Psicólogo Online**depressão**ansiedade**Psicologo Bradesco SAÚDE *,*Psicologo Amil*, *Psicologo Sulamérica*, *Psicologa Bradesco Saúde*,*Psicologa Amil*, *Psicologa INTERMÉDICA*, *Psicologa Allianz*,*Psicologo Vila Mariana**Terapia de casal bradesco sp*

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Carência afetiva: o que é e como lidar?

O normal e o patológico

A dificuldade em mostrar sentimento

Pessoas românticas

O que é Inveja e como se manifesta

Como lidar com o rompimento de uma relação afetiva

Devemos nos importar com o que pensam a nosso respeito?

Psicóloga em SP

Amor Idealizado: Será que você é amado (a) de verdade?

Terapia de Casal: