16/03/2017

Você é controlador (a)?

Você é controlador (a)?


Ninguem é obrigado a obedecer aos caprichos de outra pessoa, sob nenhuma circunstância.
Se você se considera uma pessoa controladora, busque ajuda psicológica






Quando assumimos um compromisso de natureza afetiva com alguém, entramos na vida desta pessoa e deixando que ela entre na nossa. Em termos práticos, isto significa abrir um espaço na agenda para manter contato que vai desde o simples "bom dia" via Whatsapp, até aquele jantar romântico agendado com alguma antecedência.





Entretanto, nas atuais conjunturas históricas-sociais, regularidade é um "luxo", que gera estresse e cobranças nas relações, podendo tirar a espontaneidade. O que era pra ser leve, torna-se em alguns casos, um fardo, especialmente quando a outra parte não consegue abrir-se à compreensão.

Tomemos como exemplo um casal que se comunique pela manhã, a tarde e a noite. Isto caracteriza uma forma regular de contato. Mas, quando a outra parte, por algum motivo (reunião, celular quebrado, falta de sinal, etc), deixa de fazer contato, gera ansiedade e estresse na outra parte.

Isto ocorre porque vivemos em uma sociedade onde tudo o que é feito, é regido pela agenda e pelo calendário: temos horário para entrar e sair do trabalho, horário do ônibus, do trem, da escola, etc., e ficamos condicionados a fazer tudo dentro de certa limitação de tempo.

Sendo assim, quando o parceiro afetivo não cumpre seu "compromisso" dentro do tempo esperado, pode levar a outra parte a entender como distanciamento.

Mas na prática não é bem assim.


Nem sempre a falta de contato significa desamor. 
Concordo que em alguns casos pode significar, mas não dá pra generalizar. Alguns motivos que levam as pessoas a não fazerem contatos regulares são:

  • Outras preocupações imediatas (entregar trabalhos, relatórios);
  • Reuniões "inesperadas";
  • Medo de incomodar;
  • Medo de ser criticado (algumas pessoas são sempre criticadas por seus pares afetivos, por mais que se dediquem);
  • Doença;
  • Sonolência;
  • Falta de vontade por motivos particulares.
Alguns indivíduos acreditam que são prioridade na vida dos outros, e seguindo esta linha de raciocínio acreditam que o outro deve estar sempre disponível, online 24 horas para responder. Esta forma de manter um relacionamento gera desprazer e com o tempo, pode levar à falência afetiva, uma vez que se torna cansativo para quem está sob o controle acirrado do outro.



Penso que seja mais gratificante estar com uma pessoa que emite padrões irregulares de comportamentos afetivos, de forma espontânea, do que com aquela que faz contato regularmente por obrigação. Afinal nos relacionamos com pessoas ou com agendas?

Avalie este conteúdo

Aviso


© 2014-2016 |Todos os direitos reservados|
É proibida a reprodução parcial ou integral do conteúdo deste website, em qualquer forma, sem autorização expressa dos autores| O compartilhamento nas redes sociais é permitido.

Psicologo Bradesco Saúde

psicologa bradesco | Whatsapp (11) 99984-9910 |Psicoterapia Adultos e Casais | Agende sua consulta gratuita |Clínica de ps...