Devemos nos importar com o que pensam a nosso respeito?


Até que ponto devemos nos importar com o que pensam a nosso respeito? 

Faz parte da nossa condição a aquisição de repertórios comportamentais singulares, ou seja, cada um de nós adquire, ao longo do ciclo vital, desejos, necessidades, vontades, sentimentos e pensamentos próprios, que são modelados de acordo com as demandas do cotidiano.

Por que nos importamos tanto?


É a partir da aquisição deste conjunto de pensamentos e comportamentos, que nos instrumentalizamos para enfrentar as vicissitudes da vida, bem como vivenciar os bons momentos.

Porém, alguns indivíduos sofrem rejeição por pensar e/ou agir diferente das pessoas com quem convivem. Infelizmente, nem todos conseguem ser aceitos por sua singularidade.


Porque não devemos nos importar


Quando alguém se comporta diferente do esperado para seu meio social (e isso inclui família, colegas de trabalho ou escola, correligionários e parceiros afetivos) tende a ser rejeitado, ou rotulado como "do contra". Dificilmente contam com a compreensão da maioria, o que pode levar a um sentimento de exclusão. 

Mas, até que ponto devemos mudar nossa singularidade para que sejamos aceitos? Seria justo abrir mão do nosso repertório para garantir aceitação?

A resposta para esta pergunta não é linear, pois existem muitos pontos a serem considerados:


  • Quando um indivíduo emite comportamentos muito distante do que é esperado, provocando queixas das pessoas, seria útil avaliá-las, filtrando-as e selecionando aquelas que tiverem fundamento, descartando aquilo que que é exagero.

  • Quando seu comportamento é diferente da maioria, mas não causa nenhum prejuízo, para si ou para os outros, não há motivo para pensar em mudança, basta apenas ampliar a compreensão sobre as críticas, tentando entender os motivos de quem as faz. 
  • É preciso ter coragem para assumir sua singularidade e saber enfrentar as críticas com sabedoria. Nem todos estão preparados para conviver coma diferença, mas é útil que todos saibam respeitá-las.


Porque não devemos nos importar

Devemos nos importar com o que pensam a nosso respeito, até o ponto em que o outro pode nos prejudicar, ou quando efetivamente está tentando nos ajudar. Mudar sua forma de ser, agir, pensar apenas para buscar aceitação é questionável. Pense nisso!


Saiba mais sobre Psicoterapia
Se você nunca passou por psicólogos, ou por algum motivo precisou interromper sua *psicoterapia, e sente que precisa de ajuda emocional, para lidar com ansiedade depressão, fobias, pânicos, Transtorno de personalidade, entre em contato.
Informações sobre atendimento Psicológico por meio de Plano de Saúde (Bradesco Saúde, Amil, Sulamérica, Intermédica Notredame)
Para você quer faz Psicoterapia, ou ainda não começou e não sabe exatamente o que esperar do psicólogo, aqui vão algumas dicas.  O Psicólogo é um profissional que vai te acolher com brandura, sem que isso seja pesado para o paciente psicológico
O que é um atendimento psicológico? Quais os tipos de atendimentos psicológicos que existem? Saiba mais
Saiba de que forma a psicoterapia pode te ajudar: Favorecendo o autoconhecimento; diminuindo a ansiedade, controlando e tratando os sintomas da depressão
O valor cobrado por uma sessão de Psicoterapia em são Paulo, é uma média do preço praticado na cidade de São Paulo, mais precisamente, na zona sul de sp.
Os preços são fracionados de acordo com a duração de cada sessão, para que todos as pessoas tenham acesso aos atendimentos
São atendimentos voltados para pessoas que estão em situação de alto risco psicológico, que estão atravessando situação traumática na última semana.

Pessoas que amam demais precisam fazer terapia para que aprendam a amar de maneira menos dolorosa e mais feliz; a Psicoterapia pode ajudar pessoas com quadro de dependência afetiva a se amarem mais e em primeiro lugar.
A Terapia Cognitivo Comportamental é um modelo de tratamento psicológico de curta duração e efeitos mais rápidos, pois busca tratar um problema de cada vez. Indicada para casos de depressão, ansiedade, dificuldade de relacionamento, estresse e para quem quer perder peso.
Terapia para que os casais possam compreender melhor a si mesmos, buscando a compreensão do relacionamento e resgatando os motivos que os uniram.

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas deste blog

A dificuldade em mostrar sentimento

O que é a dificuldade de relacionamento?

Diferença entre: atração, desejo, paixão e amor.

Psicóloga que atende convênio Bradesco

Chantagem emocional: o que é e como lidar na Psicologia

Sulamérica Psicólogos Recomendados em São Paulo

Plano de saúde cobre psicólogo

Psicóloga Clínica na Vila Mariana, São Paulo, SP

Dificuldade de Relacionamento - Psicologa sp

A ♥ romantização do trabalho