Como controlar a Raiva - dicas da psicóloga

Como controlar a Raiva: as vezes sentimos uma onda de raiva que parece incontrolável. Nestes momentos parece que ganhamos uma força superior para destruir aquilo que nos causa frustração.

Os desdobramentos da Raiva são: cólera, ira, fúria, rancor, ódio, desejo de agredir ou destruir

O que é a Raiva?





A raiva é uma emoção natural que sentimos quando passamos por alguma contrariedade, ou quando nossos desejos e ações são frustrados. Conhecida como um "sentimento negativo", ao qual fomos ensinados a reprimir ou negar. Mas se é natural e inerente ao ser humano, por que negá-la ou reprimi-la?

A negação da Raiva

Como controlar a Raiva na psicologia, procurando psicologa em sao pauylo para aprender a ter autocontrole
Historicamente a repressão da raiva e seus desdobramentos está relacionada ao fato de que na idade média, um indivíduo colérico era considerado louco.


A negação da raiva (e de outros sentimentos menos nobres) está atualmente relacionada à educação que recebemos dos adultos. Quando crianças, muitas vezes éramos punidos quando expressávamos (publicamente) a raiva por meio de choro, birras, gritos, etc. Quando crescemos, a tendência é continuar reprimindo a raiva, seja para não sofrer punição,ou para garantir algumas gratificações.

Manifestação da raiva


Alguns autores  (Carvalho e Carvalho, 2010) apontam que a manifestação da raiva pode ser a inibição (sentimento reprimido) ou a fúria (raiva incontida): a inibição se refere ao disfarce que usamos quando alguma contrariedade ocorre; a fúria é o oposto: se refere à manifestação da raiva no ambiente.

Sentir raiva é normal, natural e desejável. Inibi-lá ou demonstrá-la excessivamente, não!

A inibição pode somatizar e a longo prazo se transformar em doenças como gastrite, úlcera, depressão, etc.

Desdobramentos 


A fúria também não é aconselhável, pois agir sob o domínio das emoções não é considerado um comportamento saudável, uma vez que o cérebro não tem condições de processar todas as informações que estão chegando, nem avaliar a situação como um todo. Isto significa que agir sob o impulso da raiva pode acarretar prejuízos maiores, para si e para os outros.

Como controlar a raiva na Psicologia

Como lidar com a raiva dicas da psicóloga


O ideal é que a raiva seja demonstrada com coerência.  Que não seja negada. Que seja assumida.

 Afirmar: "Sim, estou com muita raiva neste momento", poderá levar o indivíduo a ter consciência de seus sentimentos, agregando autoconhecimento. Se possível conversar francamente com o causador da raiva, olhando no olho, dizendo frases (mais ou menos) assim:

 "Eu esperava outro comportamento de sua parte. O que aconteceu para você mudar de ideia?"


As manifestações violentas, maldosas ou agressivas  devem ser reprimidas, pois transformam a raiva em fúria, agressividade, doença e até mesmo... em destruição. A psicoterapia pode ajudar a desenvolver comportamentos mais assertivos e mudanças de pensamentos.

Naturalmente, existem ocorrências extremamente dolorosas, onde é impossível conter as manifestações de raiva. Mas são casos extremos, que não cabem nesta discussão. Tratarei disto em outra oportunidade. Por hora, concluo que temos o direito de sentir raiva quando somos frustrados, afinal  alimentamos esperanças e desejos de bem estar e segurança. Porém, há uma distância enorme entre sentir, manifestar e inibir.

Espere a raiva passar ou atenuar para tomar decisões. A raiva é um fator psicológico que afeta as pessoas de maneira negativa, levando-as ao descontrole emocional.


Referências:

CARVALHO, Luciane Bizari; CARVALHO, João Coin. Emoções: Raiva. Coleção Mente e Cérebro: São Paulo; Dueto, 2010.




Se você ou alguém que você conhece está passando por um problema psicológico, saiba que a Psicoterapia  (realizada por psicólogos credenciados) pode ajudar bastante na compreensão de problemas emocionais como este. 

A Terapia serve para que as pessoas tenham ajuda emocional, apoio psicológico para lidar com problemas da vida em geral, como ansiedade, depressão, fim de relacionamento, luto, amor patológico, etc. 

Entenda como funciona uma sessão de terapia.

Quem pode se beneficiar da Psicoterapia: pessoas em geral, não necessariamente pessoas com transtornos mentais,



Convido você a vir conhecer meu trabalho, ou indicar a quem precisa. Meu objetivo como Psicologa e Psicoterapeuta é ajudar as pessoas a entenderem melhor a si mesmas, colaborando para que tenham qualidade de vida afetiva e emocional.

Meu consultório de Psicóloga fica na Vila Mariana, Zona Sul de SP

Agende uma consulta Gratuita psicológica
Pelo link
 Agenda OnLine
Por Whatsapp
(11-99984-9910)
Por Email
agendamento@psicologiasemfronteiras.com.br
Endereço
Psicologa em SP
Zona sul
Vila Mariana
Rua Domingos de Moraes, 770
Bloco 01 - Sala 05 - Sobreloja (SL)
Metrô Ana Rosa 
Em frente ao McDonalds
Horário de atendimento
Seg-sexta:
Sábado:
7:00 - 23:00
7:00 - 21:00

Psicóloga online

Tenho credenciamento do CRP-SP para realizar terapia  online

·         ♦Preço acessível de Terapia
·         10 motivos para fazer terapia
·         Ajuda Emocional
·         Blog de Psicologia
·         Como escolher Bons PSICÓLOGOS
·         Convênios
·         Nunca passou na Psicóloga?
·         O que é Psicoterapia?
·         O que faz um Psicólogo?
·         Psicologa online
·         Psicólogos em São Paulo
·         Quando a terapia funciona
Leia também

Postagens mais visitadas deste blog

Como lidar com mágoas

O que é depressão e como tratar?

"Cadê minha alma gêmea?" - A busca pelo relacionamento perfeito

A dificuldade em mostrar sentimento

Ser otimista é melhor para a saúde do coração,

A ♥ romantização do trabalho

Preço Acessível | para Reembolso

Psicóloga que atende convênio Bradesco

Psicólogo que atende Bradesco Saúde por reembolso de consultas

Relacionamentos dificeis

Postagens mais visitadas deste blog

Psicóloga que atende convênio Bradesco

A dificuldade em mostrar sentimento

Como lidar com o rompimento de uma relação afetiva

Mecanismos de defesa nas relações afetivas

Será que você é amado (a) de verdade?

A necessidade de aceitação na Psicologia

05 fases do luto afetivo

Relações afetivas adoecidas: como lidar com relacionamentos difíceis.

07 sinais de amor patológico ❖Psicóloga sp

A blindagem contra apego na psicologia