Pular para o conteúdo principal

♥ Como lidar com Relacionamentos difíceis. Psicologa SP

Os relacionamentos considerados difíceis são aqueles em que um dos envolvidos (ou mais de um) tende a dificultar o entrosamento, colocando regras, metas e condições impraticáveis pelos demais. Geralmente são pessoas inflexíveis, que precisam de autoafirmação à custa do sofrimento alheio.


O que esperar de um relacionamento

Minimamente, esperamos que os relacionamentos nos proporcionem bem-estar emocional.
No entanto, muito ajuda quem não atrapalha, portanto, se conseguirmos nos relacionar de modo a evitar danos psicológicos, já está suficientemente razoável.



O que é um relacionamento difícil?


É aquele em que você fala "A" e a pessoa ouve "A", responde "B" e pratica "C", ou seja, é quando a outra parte não se importa muito com você, se colocando você em situações difíceis, desnecessariamente.

Relacionar-se com pessoas que não tentam, pelo menos, se colocar no lugar do outro tende a ser um desafio, uma vez que exige um esforço sobre-humano de alguém, que terá que ceder, as vezes, até o limite da honra, para satisfazer os caprichos de quem faz exigências.



Relacionamentos difíceis e abuso moral

Quando o relacionamento se torna insustentável, ultrapassando as fronteiras da mera implicância, podemos inferir que existe algum tipo de abuso moral.

Pode-se considerar abuso toda forma de humilhação a que uma pessoa é exposta.



Por que estabelecemos relacionamentos difíceis?

Acredito que uma das dificuldades em estabelecer relações de qualidade exista por conta das altas expectativas que temos em relação aos outros. 

Mesmo quando não esperamos "nada", sempre esperamos alguma coisa, afinal isto é uma relação. Considerando que o comportamento tende a se repetir se for reforçado, é natural que muitos comportamentos pro-sociais que emitidos tem como finalidade atrair reforçadores sociais (sorrisos, abraços, elogios, etc).


Muitas vezes, estabelecemos relacionamentos supostamente para "ajudar o outro".


 Movidos pela compaixão e por acreditar que o "outro precisa muito de nós", podemos nos movimentar no sentido de minimizar o sofrimento alheio e ganhar em troca apenas o abandono e o esquecimento.


 Neste caso de quem é a culpa? Do que não soube reconhecer ou de quem esperou do outro um atitude diferente? Pode ser das duas partes. Cada caso é um caso.


Conviver com pessoas difíceis, que não conseguem reconhecer o esforço para gratificá-las para alguns é torturante, mas para outros é um desafio e por esta razão, não desistem facilmente do outro.



Diga Não aos relacionamentos difíceis

Você não precisa disto, tenha certeza!
Você não precisa ter alguém ao seu lado fazendo exigências descabidas, te ofendendo, tomando suas coisas, abusando do seu poder aquisitivo, se vitimizando para explorar sua compaixão e tirar proveito da sua boa fé.


Leia também alguns artigos neste site de Psicologia.


A dificuldade em mostrar sentimento

Abra-se ao amor sem medo de ser feliz

Amor = Paixão + intimidade + comprometimento

Amor correspondido - Amor não correspondido

Amor custa caro

Amor desgastado: quando a relação afetiva está desigual

Amor Patológico - Amor doente




mérica. Preço acessível. 

psicologa sp

1ª Sessão de Terapia: como funciona

Se você nunca passou na Psicóloga, ou por algum motivo precisou interromper e gostaria de retomar sua Psicoterapia, fica aqui um convite para vir conhecer meu trabalho, expondo suas queixas e fazendo um pré-diagnóstico. Algumas pessoas têm medo de vir à Psicóloga. Isto é normal, mas não é "legal". O ideal seria passar em um Psicólogo, pelo menos uma vez na vida, para inferir seu estado emocional, para conhecer o Trabalho dos psicólogos, desabafar, e para colocar em dia suas variáveis emocionais, aquelas que, quando acumulam, geram depressão, ansiedade, dificuldade de relacionamento. Psicólogos não existem apenas para tratar de "pessoas com problemas". Oras, todos nós temos problemas a resolver, afinal a vida é um desafio constante. Os Psicólogos existem justamente para favorecer o enfrentamento destes problemas emocionais, que todos atravessamos. Trata-se de uma escuta imparcial, acolhedora e humanizada, sem julgamentos, sem preconceitos de qualquer natureza. Observ