Um ano de reflexões

Um ano de reflexões

Que a virada do ano não se limite à arrancar a folha do calendário, comer lentilhas e pular sete ondas.
Se você não se mobilizar, os dias do ano serão todos iguais.

A mudança tem de ocorrer a partir de você mesmo (a): aprenda a tomar novas atitudes perante velhos problemas, aprenda a tomar decisões mais acertadas; aprenda a fazer escolhas mais adequadas ao teu modo de vida. 

Escolha conviver com pessoas que realmente te amam, e não aquelas que estão ao seu lado enquanto tudo estiver bem. Bons amigos se reconhecem nos momentos de adversidade e não nos momentos de alegria.

Escolha trabalhar de modo a se sentir produtivo(a), deixando a romantização do trabalho de lado. Seja competente, produtivo(a), eficaz, mas não faça do ambiente de trabalho uma reprodução do seu lar. Não espere que seus gestores e colegas hajam com você da mesma forma que seus entes queridos.

Escolha perdoar e ser perdoado, dentro dos limites do aceitável, afinal o perdão deve vir acompanhado de atitudes reparadoras (por parte de quem errou) e de atitudes conciliadoras (por parte de quem recebe). 
A palavra "desculpa" sem atitude é apenas uma palavra vazia, sem significadao algum.

Amor requer abertura ao outro, compreensão, aceitação, comprometimento. sem estas atitudes, nenhum amor será satisfatório. Amar é uma arte que exige que você saiba Dar e receber afeto. Exige treino.

Escolha não se importar tanto com as opiniões alheias. Desenvolva seu senso crítico para que a opinião alheia não seja tão importante para você tomar suas decisões. 

Aprenda a nomear e reconhecer seus sentimentos verdadeiros.
isto é particularmente importante para que você consiga entender como reage diante de algumas situações e aprender a enfrentar situações adversas com um mínimo de serenidade.

Aprenda a elogiar.
Lembre-se que sua esposa, marido, filhos, pais, muitas vezes estão carentes de elogios. Portanto algumas atitudes amargas da parte deles poderia ser minimizada simplesmente com um elogio. Certamente há algo de bom nas pessoas que te rodeiam. Procure. Da mesma forma que você precisa ser elogiado (a), os outros também precisam.

Aprenda a lidar com suas necessidades de aceitação, carência afetivadificuldades de relacionamentos, sem se tornar um peso para os outros.

Mas não se sinta sozinho (a) ou desamparado.
se não puder contar com a ajuda das pessoas, busque ajuda psicológica, para que você consiga enxergar as coisas boas que a vida está lhe oferecendo e você talvez não esteja enxergando.