18/04/2018

Você sabe vivenciar uma relação amorosa?

*Psicóloga Bradesco*

Você sabe vivenciar uma relação amorosa?


À primeira vista, a pergunta parece ingênua, afinal quase todo mundo namora. Logo, namorar não deveria ser algo tão difícil. Mas é.




A dificuldade reside justamente no conflito de interesses, onde cada qual deposita no outro expectativas que sempre são possíveis de serem alcançadas.



Vou elencar sucintamente (e de forma aproximada) algumas  dificuldades e posteriormente, discorrer sobre elas de modo analítico.

Ter ciúme é algo normal em qualquer relação, afinal o ciúme é o sentimento de preservação do objeto, ou seja, serve para nos alertar de possíveis ameaças de perda. porém, o Ciúme excessivo prejudica as relações afetivas, uma vez que gera desconforto, que leva as brigas, às mágoas e aos rompimentos sem volta.

Indivíduos extremamente controladores tendem a reproduzir este comportamento no namoro, muitas vezes ditando regras e impondo as formas como o outro deve agir, exigindo obediência como prova de amor.

Entre um casal é esperado que a comunicação flua de modo que haja entendimento. Porém quando um dos pares, ou ambos, apresentam dificuldades de compreensão de ideias abstratas, a comunicação pode ficar comprometida. Nestes casos o ideal é falar sempre da forma mais clara possível, sem deixar margem à dúvida. 

Muitas vezes, somos surpreendidos por atitudes estranhas de nossos (as) parceiros (as) e quando questionamos, nos respondem que estão agindo de acordo com algo que falamos ou fizemos. 

Neste caso, faltou esclarecimento, faltou aquela pergunta: "O que você quis dizer com isso?", afinal ninguém é obrigado a adivinhar o que o outro pensa, por mais que pareçam pensar da mesma forma.

Não somos iguais. 

Se não somos iguais, não nos relacionamos da mesma forma, logo, temos compreensão diferente sobre o mesmo fato. Isto ocorre porque tivemos histórias de vida diferentes, que merecem ser respeitadas e compartilhadas.





Outros aspectos que podem atrapalhar um namoro têm relação com a autoestima de cada um. A forma como qual se vê pode refletir no que espera do outro.






A baixa autoestima pode levar à cobrança de elogios em demasia, o que acaba cansando a outra parte.



A autoestima muito elevada pode levar um a tentar dominar o outro, ou a emitir comportamentos que irão promover a humilhação do (a) parceiro (a).



Ninguém é obrigado a aprender compor poemas, mas de vez em quando, falar sobre sentimentos ajuda bastante a orientar os rumos que a relação está tomando. 

Porém muitos indivíduos têm dificuldade de expor sentimentos pois temem que a outra parte poderá abusar de seus sentimentos, tomando atitudes premeditadas para ver o outro sofrer. 

Mesmo assim, é importante declarar o amor, senão por palavras, mas por atitudes, gestos, e comportamento de aproximação. 
Comportamentos de cuidados são excelentes formas de declarar amor.


Se você quer viver um namoro de qualidade, procure abrir-se ao diálogo, considerando que seu parceiro afetivo não é um inimigo ao contrário, é alguém que quer amar e ser feliz, como você.Não estabeleça metas impossíveis, e tente negociar pontos conflitantes.

Procure ver as qualidades e não os defeitos do outro. De vez em quando faça uma surpresa, um mimo, mesmo que seja algo bem pequeno. Isto certamente transformará a sua relação pesada e doentia, numa relação de amor e paz.
pense nisso.



Aviso


© 2014-2016 |Todos os direitos reservados|
É proibida a reprodução parcial ou integral do conteúdo deste website, em qualquer forma, sem autorização expressa dos autores| O compartilhamento nas redes sociais é permitido.

Avalie este conteúdo

Psicologa Bradesco

psicologa bradesco | Whatsapp (11) 99984-9910 |Psicoterapia Adultos e Casais | Agende sua consulta gratuita |Clínica de psicologia V...