A blindagem contra apego

A blindagem contra  apego


Uma crítica contra o desapego....

Apego atualmente é artigo de luxo, para poucos (bem poucos, aliás).
Bradesco, Golden Cross, Sulamerica, Amil, reembolso, Vila Mariana, Psicologa, psicólogo,  sp, psicoterapia, terapia, consulta psicológica, psicologa, agendamento de consulta, preços de terapia, psicoterapia, atendimento, psicoterapico,psicoterapia, psicologa, psicologo, ajuda emocional gratuita, psicanalista, gestalt, terapia cognitivo comportamental, testes, avaliações, quanto custa consulta, atendimento, psicologico, psico, estresse, psicologa, tratamento, convenio,  dificuldade de relacionamento, terapia de casais,depressao, estresse, ajuda emocional, convenio psicologico, marcar consulta, sao paulo psicologa, preco de consulta, valor da consulta psicologa,primeira consulta psicologica gratis, terapia, psicoterapia, psicologia, tratamento para depressao, tratamento para ansiedade, dificuldade de relacionamento, crianças, adultos, idosos, casais, grupos, palestras, estresse, obesidade, ciúme, amor, namoro, casamento, sexo, ajuda emocional grátis, consulta grátis, sexualidade, luto, patologia sicologa online grátis, duvidas de psicologia, tratamento, clinica de psicologia, consultorio psicologia, convenio psicologa, consultorio psicologigo vila mariana, bradesco saude, amil, unimed, golden cross, reembolso, omnit, psicologa na vila mariana Depressão,psicologo,psicólogo,psicóloga,psicologa,psicoterapia,psicoterapeuta, erapia,cognitiva,cognitivo,comportamental,psicanálise,gestalt, Psicanálise,  Psicoterapia Junguiana
Apego, aqui deve ser entendido como o comportamento de aproximação e manutenção da relação. 

Não é patológico, nem doentio. É normal. Apenas os exageros devem ser contidos.

A blindagem contra o apego trata-se de um mecanismo de defesa, chamado Racionalização.

Freud explica que é buscar explicação racional para justificar pulsões inaceitáveis do ego. Portanto, o "pegar" seria a explicação racional para evitar o apego: "Pego, mas não me apego".. simples assim!

Mas.....






O problema, não é evitar o apego, mas sim, o motivo que está por trás da decisão de não se apegar: o que há de errado nisto?

Eu explico ( sem esgotar o assunto):

Apegar-se exige manutenção da relação; exige doar tempo, atenção, carinho;  exige alguém abra mão de uma parcela de seu tempo para relacionar-se com o outro; exige alguns pequenos sacrifícios cotidianos como ligar para saber como está o dia do outro. E nem todas as pessoas estão interessadas neste ato de doação, afinal é mais cômodo receber...

No entanto, o apego acontece. Mesmo quando há racionalização suficiente para construir uma muralha de comportamentos esquivos, nem sempre é possível deixar de se apegar a alguém. 

Basta as vezes um "bom dia" pelo Whatsapp, e o dia de alguém muda totalmente.

Nesta fase inicial do apego, entra em cena a negação:algumas pessoas tendem a mascarar o que estão sentindo com atitudes contrárias àquelas que gostariam de mostrar: passam a "dar um gelo" no outro, as vezes com o intuito de testar os limites, ou mesmo desapegar-se.

A entrega é um processo desconfortável para muitos, uma vez que apegar-se é um investimento afetivo e vai exigir retorno. Por isso, os "esquivos" as vezes, afastam-se para testar o apego da outra parte. se ela insistir parecerá que também já se apegou.

Mas as vezes, este jogo de distanciar-se e aproximar-se aleatoriamente tem um custo bem alto: pode acontecer que o outro realmente sinta-se rejeitado e naturalmente se desapegue.

 Se isto aconteceu com você, fica uma dica: tente se aproximar novamente, sem jogos, de forma franca e honesta, demonstrando seu real interesse. 

Pode ser que ainda exista afeto suficiente para dar um "gás" na relação. Mas se não houver, o jeito é desapegar-se e seguir em frente, afinal, existem muitas pessoas precisando vivenciar uma relação de apego.