Sentimentos: o que são e como compreendê-los


Sentimentos: o que são e como compreendê-los




Para falar sobre sentimentos, é importante falar antes sobre as emoções, as "mães" de todo sentimento.
psicologa, psicologo, sp, vila mariana convenio, reembolso, sul america, amil, golden cross, saude bradesco, ansiedade, depressão
Adicionar legenda

As emoções são consideradas por muitos teóricos da Psicologia como reações naturais do organismo diante de determinados estímulos. Podem ser inatas ou aprendidas. As mais viscerais são: o medo, a raiva, a alegria e a vergonha (Casanova, 2009). 

O nojo poderia ser encaixado nesta lista, embora seja um sentimento controverso, já que não há consenso sobre suas origens inatas ou aprendidas.

A combinação destas emoções, em determinado contexto dá origem a uma gama enorme de sentimentos:

O medo - origina sentimentos como pânico, fobias, pavor, terror, horror.
A raiva - dá origem a sentimentos como o ódio, o desprezo, a agressividade, a ira e  variações encobertas como a inveja, o ciúme, a frustração, o desejo de vingança, etc.
A Alegria - origina sentimentos bons como elação (expansão de si mesmo); excitação (desejo de fazer algo gratificante); paz (conforto subjetivo); ternura, (desejo de aproximação), etc.

Os sentimentos se originam a partir do significado que se atribui às emoções no momento em que ocorrem (condicionamento respondente). Por isso que, uma mesma emoção pode desencadear diferentes sentimentos, tanto em pessoas diferentes, quanto nas mesmas pessoas.

Exemplo: Diante de um cachorro, algumas pessoas sentem ternura; outras sentem medo; e algumas sentem nojo. O sentimento vai depender da história de vida de cada um:

Aquele individuo que foi ensinado a ver o cachorro como um amigo, possivelmente sentirá ternura; aquele que, ao contrário foi orientado a ver o cão como um animal agressivo, naturalmente sentirá algum tipo de desconforto; e alguns poderão sentir nojo, dependendo da sua história. Naturalmente estes sentimentos podem se misturar: alguém pode achar o cão bonito e ter vontade de se aproximar, mas sente medo, porque já foi agredido, ou sente nojo porque teve pouco contato. 

As vezes os sentimentos se misturam, causando muita confusão: podemos sentir raiva e amor ao mesmo tempo, pela mesma pessoa?
Sim.
Podemos. Não, isso não é loucura!
 Se os sentimentos são aprendidos em diversas circunstâncias, e se uma mesma pessoa pode nos fazer recordar de mais de uma ocorrência, logo, podemos ter diferentes sentimentos pela mesma pessoa.

Como lidar com isso?
É preciso conhecer bem os sentimentos para lidar com eles. Este discernimento poderá ser adquirido em psicoterapia, pois não há regra, nem fórmula pronta. Se o contexto muda, nós mudamos. Se mudamos, nossas emoções e sentimento mudam. É preciso compreender as mudanças para compreender os sentimentos e emoções.



Maris V. Botari
Psicologamaris@gmail.com
www.psicoterapia-sp.com.br
Referências:

Casanova, Nuno et al. Emoções. http://www.psicologia.pt/artigos/textos/TL0132.pdf. Acesso em 11 de janeiro de 2015.

Textos de Psicologia


Canal Youtube