Os amores do passado

Dizem que “Um grande amor não se esquece, adormece”. Por isso muitas pessoas lembram com saudade e/ou tristeza de alguma experiência anterior vivida. No entanto, isso é diferente de viver em função do passado. Uma coisa é lembrar bons momentos, outra coisa é querer revivê-los.


psicologa Bradesco


Por essa razão, algumas precisam conhecer o passado afetivo de seu parceiro. Não que isso seja ruim, afinal é sempre bom saber por onde pisamos e com quem estamos andando. O que é nocivo é tentar se aprofundar no passado afetivo do parceiro e se deixar enveredar por ciúmes.


Isso ocorre porque algumas pessoas não se sentem merecedoras desse amor e vão buscar no passado, motivos para sabotarem a própria felicidade.


Logicamente, existem casos em que as pessoas realmente sentem saudade do passado e deixam transparecer. Porém, existem alguns sinais que indicam pra onde a bússola do coração do ser amado aponta:
  • Se fala da(o) ex com muito carinho, é mau sinal; significa que ainda existe alguma lembrança boa no coração dele;
  • Se fala da(o) ex com muita raiva também é mau sinal. Isso indica que o coração dele está machucado, cheio de mágoa e onde há mágoa existem pendências ou até mesmo amores mal-vividos.
  • Se fala da(o) ex com muita freqüência seja bem ou mal, esqueça essa pessoa imediatamente e parta pra outra já! Isso é saudade. E quando sentimos saudades (no sentido de sentir falta) tendemos a falar da pessoa o tempo todo.


O ideal é que ele não fale absolutamente nada sobre o passado, pelo menos nada que não seja dito com a mais notável indiferença. “Ex bom é ex morto!”

E se ele não fala, não pergunte! O simples fato de ele não querer falar é bom sinal; significa que ao seu lado ele renasceu e esqueceu todo o passado.


Evite também falar sobre os seus relacionamentos anteriores .

Pessoas existem que fazem isso só pra deixar seu parceiro com ciúmes, já que nem todos falam abertamente daquilo que sentem e precisam ser “cutucadas”. Essa prática vem sendo muito utilizada, porque surte efeito imediato às vezes. No entanto isso é altamente desaconselhável porque quebra a harmonia da relação. É como jogar uma pitada de sal na sobremesa preparada com tanto capricho.